Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Saúde

Aprenda a combater insônia na pandemia

Camila Tuchilinski

Muita gente está com problemas de insônia, seja dificuldade para pegar no sono ou manter uma noite tranquila. Assim, as medicações alopáticas, conhecidas como tarjas pretas, tiveram grande aumento na procura após a pandemia do novo coronavírus.

No entanto, o farmacêutico homeopata Jamar Tejada alerta para os perigos das medicações indutoras do sono. “O problema é quando uma pessoa se acostuma com a droga inserida na rotina sem interrupções, daí então o cérebro começa a entender que não há necessidade de produzir naturalmente os hormônios indutores sono – já que os mesmos já virão através da medicação. Este é um ciclo vicioso que pode ser perigoso, além de causar irritabilidade, podendo levar à depressão”, alerta o farmacêutico.

Segundo o especialista, estresse e ansiedade são os vilões. “Toda pessoa tem seu ritmo biológico e qualquer quebra neste ciclo – seja mudança de rotina, perda de ente querido, desemprego, dívidas, desentendimentos ou qualquer atividade intensa – pode desregular o hormônio indutor do sono: melatonina, assim como a carência nutricional, a associação de substâncias químicas e remédios e o processo de envelhecimento”, explica.

Para não cair na dependência, os tratamentos naturais são eficazes e muito mais seguros a longo prazo. Além disso, eles podem tratar diferentes fases e etapas da vida, com poucas contra indicações e sem deixar o organismo ‘preguiçoso’.

Jamar Tejada indica algumas medidas simples, que podem ser feitas em casa, para acabar com as noites mal dormidas. Alguns fitoterápicos como Valeriana, Passiflora e Melissa podem ser consumidos em infusões das folhas, como chás, ou manipuladas em cápsulas. “Lembrando que, mesmo naturais, essas plantas possuem algumas contra-indicações. A valeriana e a passiflora não são indicadas para gestantes. A melissa em caso de hipotireoidismo ou de tratamento com hormônios tireoidianos aumenta o efeito desses hormônios, nesses casos, deve ser evitada”, alerta.

O que fazer
O farmacêutico homeopata faz uma lista de coisas que podem ser feitas para driblar a insônia em tempos de quarentena:

– Praticar 30 minutos de atividade física ao dia: o corpo em movimento libera a dopamina, que relaxa e induz ao sono.
– Ter cuidado com o jantar: Escolha fazer uma boa e leve refeição após às 18h evitando alimentos gordurosos que podem atrasar o processo digestivo.
– Beber uma xícara de leite morno: a bebida contém ácido lático que é um excelente indutor do sono.
– Florais de Bach: As essências Florais de Bach são extratos líquidos naturais e altamente diluídos obtido de flores, que se destinam ao equilíbrio dos problemas emocionais, operando em níveis vibratórios sutis e harmonizando a pessoa no meio em vive. O objetivo da terapia floral é o equilíbrio das emoções do paciente buscando a consciência plena do seu mundo interior e exterior.

Os óleos essenciais também são recomendados por Jamar Tejada. De acordo com o especialista, quando inalados, chegam ao hipotálamo, região do cérebro que controla as emoções. Para usá-los, basta pingar duas gotas em um recipiente com água fervendo e deixá-lo no quarto de dormir. Os óleos mais utilizados:

– Lavanda: possui ação sedativa, que ajuda a relaxar a mente e o corpo;
– Bergamota: atua no sistema nervoso central, controlando o estresse e a ansiedade;
– Camomila: tem propriedades calmantes, para manter a mente relaxada;
– Manjerona: sua ação sedativa dá conforto e tranquiliza o corpo;
– Vetiver: age relaxando a mente, diminuindo o estresse e a insônia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente