Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Roubaram; ele, não

Aras tenta livrar Bolsonaro da corrupção solta no MEC

Publicado

Foto/Imagem:
Pretta Abreu - Foto de Arquivo

A Procuradoria-Geral da República informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira, 19, que é contra a inclusão de Bolsonaro como investigado no inquérito sobre o gabinete paralelo de pastores no Ministério da Educação. O parecer do PGR Augusto Aras foi enviado a pedido da ministra Cármen Lúcia, relatora da investigação, que cobrou um posicionamento sobre a situação do presidente após representações da oposição. Inicialmente, Aras pediu para investigar apenas o ex-ministro Milton Ribeiro, prefeitos e pastores envolvidos no esquema de cobrança de propina para liberação de verbas.

Publicidade
Publicidade