Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Curiosidades

Arqueólogos acham cidade onde Cristo ressuscitou

Bartô Granja, Edição

Arqueólogos que operam nas proximidades de Jerusalém acabam de anunciar a descoberta de uma fortificação milenar que poderia ajudar a identificar a localização de Emaús – uma cidade que o Novo Testamento afirma ser o local onde Jesus fez sua primeira aparição após sua crucificação e ressurreição.

Segundo o jornal Haaretz, de Israel, a equipe franco-israelense descobriu uma antiga fortificação helenística que possivelmente foi construída pelo general selêucida Bacchides, que derrotou Judá Maccabeus, em Kiriath Yearim, uma colina onde se concentravam tropas para ataques a Jerusalém.

“A importância deste local, sua posição dominante sobre Jerusalém, foi sentida repetidamente ao longo do tempo: no século VIII aC, e novamente no período helenístico e depois da Primeira Revolta Judaica e do saque de Jerusalém em 70 DC”, disse o arqueólogo da Universidade de Tel Aviv Israel Finkelstein.

Tendo consultado relatos históricos detalhando a lista de fortificações erguidas por Bacchides, “este é o único caso conhecido de construção de fortificação em larga escala na Judéia durante esse período”, revelou Thomas Römer, professor de estudos bíblicos no College de France. Ele explicou que embora Kiriat Yearim não seja mencionado lá, as listas incluem um local a oeste de Jerusalém, que “era conhecido por Josefo e pelo autor de 1 Macabeus como Emaús”.

Com isso em mente, e considerando a aparente falta de outras fortalezas helenísticas conhecidas a oeste de Jerusalém, Finkelstein e Römer agora acreditam que a colina e a cidade adjacente de Abu Ghosh devem ser identificadas como Emaús. Römer também apontou que existem tradições antigas ligando Kiriath Yearim e Abu Ghosh a Emaús, com cruzados construindo a Igreja da Ressurreição na cidade no século XII.

No entanto, Benjamin Isaac, professor emérito de história antiga da Universidade de Tel Aviv, recomendou cautela, observando que, embora “Finkelstein e Römer tenham um bom caso arqueológico, geográfico e topográfico”, sua hipótese é apenas essa, uma hipótese, neste momento.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente