Eles estão chegando?

Astrônomos vêem Oumuamua como uma nave de ETs camuflada

Foto/Reprodução
Bartô Granja, Edição

O asteroide interestelar Oumuamua pode fazer parte de uma missão de pesquisa extraterrestre por ser parecido a uma vela solar, supuseram os astrônomos Shmuel Bialy e Abraham Loeb do Centro de Astrofísica Smithsonian, de Harvard.

Os astrofísicos afirmaram que, depois de o asteroide deixar o Sistema Solar, ao invés de perder velocidade, acabou ganhando, ressaltando que não há chances de a aceleração ter sido causada por gases, visto que Oumuamua não é um cometa.

Se se tratasse de gás impulsionando o corpo celeste, então teria resultado na rotação do asteroide, coisa que não aconteceu, afirmam Shmuel Bialy e Abraham Loeb, que acreditam que radiação solar possa ter impulsionado a movimentação do corpo celeste misterioso. Esta fonte de energia poderia ser capaz de movimentá-lo, por exemplo, pela galáxia sem precisar de mais nada a não ser da luz do Sol.

Em se tratando da origem natural do corpo celeste, que não emite sinais de rádio, os astrofísicos opinam que o asteroide seja uma vela solar de uma antiga nave espacial, não excluindo até mesmo a chance de se tratar de um objeto artificial criado especialmente por extraterrestres.

Cálculos demonstram que o asteroide tenha proporções ideais para suportar o impacto de poeira espacial e massa aceitável para viajar pelas galáxias.

A estrutura se parece com projetos de naves espaciais portadoras de velas solares, que são elaboradas pelos programas Starshot e IKAROS, concluíram os astrofísicos.

Oumuamua, o primeiro corpo celeste de outro sistema solar a passar pelo nosso, despertou entusiasmo em astrofísicos por ser dono de origem misteriosa. Ele foi descoberto em 2017 voando pela órbita extremamente alta. Stephen Hawking e outros especialistas não excluíram a origem extraterrestre dele.

COMPARTILHE