Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Riscos de acidentes

Atenção papais, cuidado com crianças na cozinha

Publicado

Foto/Imagem:
Rafael Secunho/Via Agência Brasília - Foto Bruno Esaki

Mês de janeiro é tempo de férias escolares e a presença das crianças em casa é uma constante. Livres das aulas diárias e das tarefas, a maioria gosta mesmo é de brincar ou, às vezes, de aprontar. Nessa hora, é necessário todo cuidado dos pais com acidentes com fogo. Queimaduras e choques elétricos são riscos. E algumas medidas preventivas são essenciais para evitar desastres. É o que alertam especialistas e o Corpo de Bombeiros.

Referência no DF em tratamento de queimaduras, o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) atende pessoas de todas as idades vindas do DF e Entorno. Todavia, em torno de 49% das vítimas do fogo são crianças ou adolescentes no Brasil, aponta o chefe da Unidade de Queimados do hospital, Ricardo de Lauro Machado. A estatística está presente na literatura especializada.

“Na primeira infância, a queimadura em geral é por escaldadura, que é o contato com o líquido quente. Ainda vemos pessoas cozinhando com a criança pequena no colo”, salienta Ricardo. “Depois, quando o menino cresce, eles começam a querer colocar fogo nos objetos ou numa formiga, por exemplo. Alguns vão atrás de produtos inflamáveis, como o álcool. Em questão de segundos, acontece um acidente doméstico”, reforça o médico cirurgião plástico.

Segundo ele, dos 2.650 atendidos com queimaduras no pronto-socorro da unidade em 2022, 645 eram crianças com menos de 13 anos de idade. Já em 2021, elas responderam por 26% das internações no hospital. “Os acidentes dentro da residência ou no espaço peridomiciliar, como um quintal, a rua de casa, são a maioria”, afirma o cirurgião.

Acidentes domésticos
Vale lembrar que casos de queimaduras são atendidos em toda a rede de saúde, apesar de o Hran ser o mais procurado. “E a cozinha é o principal local de perigo. Lá, estão o fogão, o forno, o micro-ondas, o gás de cozinha e muitos aparelhos elétricos”, alerta Ricardo.

Habituado a esse tipo de ocorrência, o capitão do Corpo de Bombeiros Reginaldo Machado aponta alguns cuidados importantes para os pais. “Primeiro, é primordial evitar o acesso de crianças sozinhas na cozinha ou na área de serviço onde são guardados produtos de limpeza e inflamáveis, como o álcool”, diz. “Além disso, no preparo da comida, a alça de sustentação das panelas deve estar virada para trás. E prefira sempre cozinhar nas bocas de fogão mais ao fundo, em que o acesso de uma criança é mais difícil”, lembra.

Outra recomendação é limitar o acesso a objetos que produzem chamas. “Itens como velas, fósforos e acendedores de fogões devem passar longe da garotada. Ao usar uma vela, sempre indicamos colocá-la num prato fundo com água”, adianta o militar . “O negócio é prevenir sempre. Não só ferimentos graves, mas também a possibilidade de um incêndio no interior das residências”, conclui ele.

Publicidade
Publicidade