Dutch  English  French  German  Italian  Portuguese  Russian  Spanish

Adeus, Aurora

Banda Supercombo prepara HQ na Comic-Con Experience

Foto/Divulgação
Carolina Paiva, Edição

Em 2014, a banda de indie rock Supercombo apresentou ao público, em seu terceiro disco Amianto, uma personagem feminina, na canção que deu título ao trabalho. A tal “moça da sacada” agora retorna em um novo trabalho, que mistura música e história em quadrinhos.

Agora conhecemos essa moça como Aurora, a protagonista da HQ que leva seu nome, Adeus, Aurora, que será lançada esta semana durante a Comic-Con Experience, que ocorre entre 6 e 9 de dezembro, em São Paulo. A história tem roteiro da própria banda – que traz Leo Ramos (voz), Carol Navarro (voz e baixo), Paulo Vaz (teclados e synths) e Pedro “Toledo” Ramos (guitarra) – numa parceria com o desenhista e autor Jean Diaz, ex-membro da grupo e que hoje faz ilustrações para grandes editoras, como a Marvel e a DC Comics.

Adeus, Aurora vai ser também o título do próximo disco da Supercombo, que já está em pré-venda, com lançamento previsto para o primeiro semestre de 2019. O álbum, com 10 novas canções, vai estar diretamente conectado com o conteúdo da história em quadrinhos. “Uma coisa inspirou a outra”, explica o guitarrista Toledo ao jornal O Estado de S. Paulo. “O quadrinho ficou pronto antes, mas muitas músicas já estavam na gaveta.”

A banda chegou a gravar os instrumentais antes de finalizar a HQ, mas precisou fazer uma pausa para terminar o projeto gráfico Ao retornar ao estúdio, ainda precisavam gravar as vozes. Com a história de Aurora no fim, algumas músicas foram modificadas, confessa Toledo. “Com certeza mudamos algumas coisas, principalmente as letras.”

O guitarrista explica que o que une disco e quadrinhos é o sentimento. “As letras não são literalmente o que está nos quadrinhos, mas cada trecho vai ter uma relação de sentimentos ”

Segundo o músico, os fãs da banda podem se considerar, de certa forma, coautores do projeto. A grande inspiração para criar Aurora e uma história de ficção científica em cima da personagem veio de teorias criadas por seguidores da banda nas redes sociais. “Desde que a gente lançou o Amianto, surgiram várias teorias do público, sobre quem era aquela garota”, afirma Toledo, em referência aos versos “moça, sai da sacada, você é muito nova para brincar de morrer”. “Sempre ouvimos o público, tentamos ler todos os comentários na internet.”

A narrativa da HQ começa com Aurora passando por um tratamento científico forçado por sua irmã, a Dra. Judite, que quer utilizar a caçula para descobrir o que houve com o pai delas. O tratamento é bastante agressivo e Aurora embarca numa perigosa jornada.

Além de Aurora, outro personagem antigo da Supercombo é Rogério, que deu nome ao quarto álbum da banda, em 2016. “Já tínhamos esse conceito do Rogério ser meio que um Guru espiritual”, explica Toledo. “Ele ajuda, mas também atrapalha.”

Uma das inspirações da banda para pensar o projeto foi o cantor Gerard Way, fundador da banda americana My Chemical Romance, que vem se dedicando, nos últimos anos, a escrever histórias em quadrinhos. Umbrella Academy, escrita por ele com ilustrações do brasileiro Gabriel Bá, está sendo adaptada, inclusive, para uma série da Netflix.

Outra inspiração foi a própria relação do grupo com cultura pop. “Frequentamos a Comic Con há quatro anos e vemos que há uma identificação do público”, acredita Toledo. Na última edição, a banda chegou a se apresentar no evento, o que deve se repetir este ano, para celebrar o lançamento de Adeus, Aurora.

Duas músicas do disco que vai levar o mesmo nome já foram apresentadas, Maremotos e 2 e 1. Esta última é a mais recente, lançada há apenas alguns dias.

“Essa música fala desse nosso tempo, de estarmos divididos e ao mesmo nos sentindo sem uma direção certa pra onde seguir”, disse o vocalista, Leo, em nota, ao divulgar 2 e 1. “Ao mesmo tempo é também sobre fortalecer um aspecto antes de seguir para outro, de buscar sempre pela união, mas sem deixar sua própria essência de lado.”

Uma continuação para a história de Aurora, musical ou gráfica, ainda não está confirmada, mas já é pensada. “Gostamos muito do resultado, provavelmente vamos fazer um volume dois. Espero que até mais”, confessa Toledo. “E vamos conseguir nos planejar melhor, dessa vez criamos um projeto de três anos em apenas seis meses.”

COMPARTILHE