Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Bombas atingem embaixada dos EUA no Iraque

Bartô Granja, Edição

Três foguetes atingiram a embaixada dos Estados Unidos em Bagdá, capital do Iraque, na madrugada desta segunda (27), horário local. Outros dois caíram dentro da chamada Zona Verde, onde estão concentrados órgãos internacionais e do próprio governo iraquiano. Uma das bombas atingiu o restaurante da embaixada, informou o canal Al Arabiya, co  cobertura em todo o mundo árabe.

Já a TV Al Sumaria do Iraque informou , citando uma fonte de segurança, que houve várias vítimas e que helicópteros estavam trabalhando para evacuar as pessoas dentro da embaixada. Aviões dos EUA foram vistos sobrevoando a cena e aterrissando no interior da embaixada, acrescentou a agência.

A “zona verde” de Bagdá, onde atualmente se encontra a embaixada dos EUA, foi recentemente alvo de vários ataques. O último ocorreu pouco antes, quando três foguetes Katyusha caíram perto da embaixada americana, informou a Al Sumaria TV, sem vítimas confirmadas até o momento.

Comentando os acontecimentos, o presidente do Conselho de Representantes do Iraque, Mohammed Al-Halbousi, disse que os repetidos ataques contra a embaixada dos EUA no centro de Bagdá são “inaceitáveis” e que “prejudicam a reputação do Iraque, enfraquecem o país e afetam seus interesses”. soberania”.

Em 22 de janeiro, três mísseis também atingiram a “zona verde” da capital iraquiana , ninguém ficou ferido. As tensões aumentaram na região depois que o principal comandante militar do Irã, Qasem Soleimani, foi morto no ataque dos EUA ao aeroporto internacional de Bagdá. Após o assassinato de Soleimani, o parlamento iraquiano votou na expulsão de todas as forças da coalizão.

No final de 2017, o governo iraquiano declarou vitória sobre o Daesh *, com o qual o país luta há mais de três anos. No entanto, a coalizão internacional, estabelecida contra o grupo terrorista em 2014, permaneceu no Iraque no que diz ser um esforço para proteger as fronteiras do Iraque e garantir uma vitória duradoura sobre os terroristas.

As autoridades americanas descartaram repetidamente uma retirada total das forças americanas do Iraque. O conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Robert O’Brien, disse que os EUA partiriam “nos seus próprios termos”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente