Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Veículos

Camionete de raça da roça para os boys do campo

Antônio Leme/Edição Antônio Albuquerque

A piada que todo dono de picape já ouviu em algum momento especialmente se ela vive limpa é que ele é um “agroboy”: mítica figura que se comporta como se vivesse no campo, mas não coloca os pés (e as rodas) na terra. Bem, a categoria ganhou um reforço e tanto com a chegada da Ram 1500 Rebel ao Brasil.

Ela tem como foco o agroboy, ou nas palavras da Ram, “um público mais urbano”. Importada dos Estados Unidos chega em regime de pré-venda para as 100 primeiras unidades a partir de hoje (10) por “módicos” R$ 399.990. A entrega inicia em abril de 2021. Há um pacote extra de equipamentos que eleva o preço aos R$ 419.990.

Para desassociar a picape da irmã maior, a Ram 2500, a marca optou por uma mudança que com certeza vai desapontar muita gente: motor a gasolina. Sob o capô, vem um V8 5.7 Hemi que rende 400 cv e 56,7 mkgf. O câmbio é automático de oito marchas com tração 4×2 traseira e acionamento elétrico do 4×4 e 4×4 com reduzida e bloqueio do diferencial traseiro.

E aqui reside o grande calcanhar de aquiles da Ram 1500: o preço. Ela é menor em todos os quesitos que a Ram 2500, não traz o aguardado motor turbodiesel, mas custa R$ 38 mil a mais (R$ 361.990 pela Ram 2500) se considerarmos o pacote base. Se usar o de topo, que é o que a Ram espera vender, a diferença sobe para R$ 58 mil.

Visual e dimensões
Em termos de dimensões, a Ram 1500 Rebel pode não ser tão colossal quanto a irmã, mas ainda assim não passa despercebida. São 5,92 metros de comprimento, 2 m de largura e de altura e 3,67 m de entre-eixos. Como comparação, a Toyota Hilux, líder do segmento de picapes médias, tem 5,32 m de comprimento, 1,85 m de largura, 1,81 m de altura e 3 m de entre-eixos.

No tocante ao visual, a picape aposta em linhas gerais que remetem a 2500. Mas ela tem personalidade própria, isso porque a Ram optou pela versão Rebel, que tem um viés mais esportivo.

Para isso tem grade dianteira com acabamento preto, formato diferente, bem como os para-choques. Em qualquer uma das cinco cores disponíveis (branca, cinza, prata, preto ou vermelho) a parte inferior das portas e saias são na cor preta, bem como a moldura nas caixas de roda. A cereja desse bolo gigante é o pacote Night Edition que traz os emblemas da marca, do motor Hemi, as rodas e o peito de aço pintados de preto.

Itens de série
A lista de itens de série também é opulenta. Ela traz central multimídia vertical de 12” com navegador GPS integrado. Ela tem ainda integração com Android Auto e Apple CarPlay, ambos por cabo. Há câmera 360º, luzes de LEDs com farol alto automático, carregamento de celular por indução e painel de instrumentos com tela de TFT de 7”.

Seis air bags, assistente de partida em rampa, controles de tração e estabilidade, assistente de estacionamento, controle de velocidade adaptativo e frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestres são outros itens. Por fim, há assistente de manutenção na faixa de rodagem com ajuste no volante e controle de reboque.

Na parte de comodidades há teto solar panorâmico, controle elétrico do vidro traseiro da caçamba, aquecimento e resfriamento do banco para todos os ocupantes e pedais com ajuste elétrico de distância, o que facilita aos mais baixinhos encontrá-los com o banco em uma posição elevada.

Além disso tudo, o pacote que eleva o preço da picape, adiciona sistema de som Harman Kardon com 19 alto-falantes, retrovisor interno digital, head-up display e a tampa multifuncional da caçamba. Ela permite a abertura convencional, com amortecimento e para os lados, como da “prima” Fiat Toro, mas bipartida em 60/40.

Anda e bebe bem
Para fazer jus ao conceito que Ram quer aplicar à picape, eles colocaram o teste não na terra, mas sim no asfalto. A questão mesmo era mostrar as capacidades do motor de 400 cv para empurrar as mais de 2,5 toneladas. E isso fez.

O V-oitão faz o serviço para garantir um bom desempenho a Ram 1500 Rebel. Se a pista não permitia grandes abusos, afinal, com o exagero poético, ela tinha quase a mesma largura da picape. O câmbio de oito marchas, fornecido pela ZF foi bem escalonado com o peso e o torque para fazer as trocas ideais, sem trancos.

Óbvio que isso tem um custo na bomba de combustível. O consumo divulgado pela Ram é de 5,3 km/l na cidade e 6,6 km/l na estrada com um tanque de 98 litros.

Para tentar melhorar o rendimento, o motor tem sistema de desativação de cilindros em velocidade de cruzeiro. Isso faz com que quando não é tão exigido, ele trabalhe como um V4 apenas. A velocidade máxima limitada eletronicamente é de 174 km/h. O 0 a 100 km/h é cumprido em 6,4 segundos.

A versão Rebel, além das diferenciações visuais, tem melhorias mecânicas. As suspensões são elevadas em 2,5 cm em cada eixo, tem amortecedores esportivos da grife Bilstein e pneus ATR nas rodas de medidas 275/65 R18.

A propósito, na dianteira usa suspensão independente double wishbone e atrás eixo rígido com braços arrastados e molas helicoidais, ao contrário dos feixes de mola mais comum às picapes no Brasil. Só a Nissan Frontier usa um sistema semelhante.

Impressões
E na travada pista do Autódromo Capuava foi possível ver uma das grandes qualidades da Ram 1500 Rebel: a suspensão. O conforto e a estabilidade são exemplares. Mesmo tentando ir além do que a física permite, a suspensão mantém a carroceria estável e faz com que as respostas fossem suaves, mesmo quando ela queria sair de traseira e a eletrônica fazia sua parte.

Na terra, mesmo que tenha sido um percurso leve foi possível ver um pouco dela. O ângulo de ataque é de 25,1º, de saída 22,6º e o vão livre do solo de 249 mm. Em um obstáculo de “caixa de ovos”, com vários buracos intercalados, o entre-eixos grande e a suspensão fizeram a transposição ser tranquila.

Por dentro, espaço e comodidade sobram. Os porta-objetos permitem carregar de tudo, e o do console central é tão grande quanto a picape. Os bancos são largos e confortáveis, enquanto a ergonomia é exemplar.

Para quem vai atrás, o espaço sobra para pernas, ombros e em relação aos bancos dianteiros. Há muita comodidade com nove entradas USB divididas entre os tipos A e C, além de entradas 12V espalhadas pela cabine.

Caçamba
Quem está mais habituado ao mundo das picapes norte-americanas sabe que eles não se importam tanto com capacidade de carga, mas sim de reboque. É por isso que mesmo com essas dimensões colossais, a Ram 1500 Rebel só tem 610 kg de capacidade.

Em compensação é capaz de rebocar mais de 5 toneladas. Uma tecnologia inteligente da picape são os Rambox, áreas para guardar itens nas caixas de roda traseiras. Cada uma tem 103,4 litros de capacidade e no lado esquerdo traz uma tomada 115 volts e iluminação.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2021 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente