Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Casais açoitados por se beijarem em via pública

Bartô Granja, Edição

Três casais moradores na província de Aceh, na Indonésia, foram açoitados publicamente nesta quinta-feira, 19, por demonstrarem afeto em público, um ato estritamente proibido na região conservadora. Um simples beijo na rua – como o ocorrido – é motivo para puniçõs severas.

Sob a Sharia, lei religiosa muçulmana, o consumo de álcool, adultério, homossexualidade, jogos de azar e qualquer demonstração de afeto fora do casamento são proibidos.

Aceh é a única província indonésia a aplicar oficialmente esse código, mesmo que outros distritos da Indonésia também estejam implementando leis influenciadas pela Sharia.

Um oficial mascarado açoitou cada um dos três homens e três mulheres entre 20 e 22 vezes usando uma bengala. Todas as seis pessoas já haviam passado em outras ocasiões vários meses na prisão por demonstrarem afeto em público. A punição ocorreu na capital da província, Banda Aceh, em frente a uma mesquita, onde os espectadores podiam assistir ao flagelo.

“Estou nervoso porque é a primeira vez que vejo algo assim”, disse o visitante malaio Muhammad Rushdy. “Mas pode servir como uma lição importante para nós de outros países cumprirmos os regulamentos locais”, acrescentou.

Segundo o prefeito de Banda Aceh, Aminullah Usman, a flagelação pode ajudar a impedir que outras pessoas violem a lei. “Mas continuamos dizendo aos visitantes para não terem medo de visitar Banda Aceh … porque você não será açoitado se não infringir a lei”, disse.

A Human Rights Watch (HRW) exigiu repetidamente que o governo indonésio erradique a Sharia em Aceh. Segundo a HRW, cerca de 340 pessoas em 2016 receberam várias chicotadas da cana por violações da Sharia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente