Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

China joga duro e abafa manifestações da oposição

Bartô Granja, Edição

A pressão política de Pequim falou mais alto e os organizadores estão cancelando os atos de protesto programados para sábado em meio às crescentes tensões e receios de violência em Hong Kong. Nestes últimos dias, vários ativistas pró-democracia proeminentes foram presos, além de outros organizadores terem sofrido ataques.

Meses de manifestações desencadearam a ocorrência de atos de violência e conflitos entre policiais e manifestantes. Citando preocupações com a segurança, a polícia não autorizou a marcha planejada para sábado, e rejeitou um apelo a essa decisão por parte dos organizadores dos protestos.

A mídia local também está reportando que alguns ativistas por trás das manifestações planejadas foram feridos em uma série de ataques.

Joshua Wong foi nesta sexta (30) de manhã enquanto se dirigia para uma estação do metrô, de acordo com uma declaração do Demosisto, um grupo político do qual ele é cofundador.

Wong era um personagem central do Movimento dos Guarda-Chuvas, que desencadeou uma série de intensos protestos em 2014. Esse movimento pedia por uma eleição democrática do chefe do Executivo de Hong Kong. Em junho, Wong foi libertado após ter passado cerca de cinco semanas na prisão por desacato à corte.

A mídia local está reportando que Andy Chan, líder do Partido Nacional de Hong Kong, foi preso no aeroporto na quinta-feira (29). O governo do território proibiu as atividades do partido de Chan no ano passado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente