Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Veículos

China prepara trem que levita a 600 km por hora

Foto/Sputniknews
Bartô Granja

A fabricante estatal de trens da China revelou, em Pequim, seu 1º protótipo de trem de levitação magnética. O trem é capaz de atingir a velocidade de 600 km/h e visa diminuir o tráfego aéreo entre a capital chinesa e Xangai.

Nesta quarta-feira (28), a China Railway Rolling Stock Corporation (CRRC) revelou o primeiro protótipo de um novo trem capaz de reduzir drasticamente os tempos de viagem entre Xangai e Pequim.

O trem pode alcançar a velocidade de 600 km/h através do uso de ímãs para levitar acima dos trilhos, resultando em uma viagem essencialmente sem atrito e suave.

O trem foi feito pela subsidiária da CRRC, a Qingdao Sifang. Ding Sansan, chefe da equipe de pesquisa e desenvolvimento de levitação magnética e vice-engenheiro-chefe da empresa, disse ao China Daily, nesta quarta-feira (28) q o trem deve entrar em operação em 2021.

O China Daily ressaltou que um sistema ferroviário avançado é parte fundamental do 13º Plano Quinquenal do Ministério da Ciência e Tecnologia da China, que termina no próximo ano.

Os trens de levitação magnética seguem sendo considerados uma tecnologia largamente futurista, embora já existam alguns. A China lançou a primeira linha funcional do mundo em 2002, em Xangai, usando tecnologia alemã com trens capazes de atingir velocidades de 430 km/h. O Japão testou um trem semelhante em 2015 que pode chegar a 603 km/h e espera colocá-lo em operação até 2027.

Ding observou que o objetivo desta nova linha é substituir as viagens aéreas entre as duas metrópoles, Xangai e Pequim. A viagem de avião, no total, leva cerca de 4,5 horas entre as cidades, já uma viagem na atual linha de trens de alta velocidade leva cerca de 5,5 horas. Segundo o vice-engenheiro chefe da CRRC, a expectativa é que a nova linha de levitação magnética leve apenas cerca de 3,5 horas no trajeto.

O intenso tráfego aéreo de Pequim é uma preocupação dos governantes chineses, que já estão construindo um segundo aeroporto internacional na região de Daxing.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente