Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Tecido neural

Ciência vê semelhanças entre cérebros humanos e de polvos

Publicado

Foto/Imagem:
Egor Shapolalov/Vi sputniknew - Foto Reprodução

Embora o oceano ainda guarde muitos mistérios, algumas criaturas marinhas, em particular os polvos, são bastante semelhantes a nós de várias maneiras. Uma equipe de cientistas, com o biólogo de sistemas Nikolaus Rajewsky do Max-Delbrück-Center for Molecular Medicine como autor principal, descobriu uma característica que os cérebros dos polvos compartilham com os humanos: um vasto repertório de microRNA em seu tecido neural. “Isso”, diz Rajewsky , “é o que nos conecta ao polvo!”

Os cefalópodes de corpo mole, como os polvos (invertebrados), são excepcionalmente inteligentes com um sistema nervoso distribuído altamente complexo e evoluíram independentemente dos vertebrados. Um sistema nervoso complexo e inteligência são traços relativamente comuns em vertebrados, mas são raros entre invertebrados.

A capacidade dos cefalópodes de editar rapidamente suas sequências de RNA em tempo real para se adaptar ao seu ambiente é outra surpresa, já que a adaptação normalmente começa com o DNA e essas mudanças são transmitidas para o RNA. Isso levou Rajewsky a se perguntar que outros segredos de RNA os polvos poderiam estar escondendo.

A equipe sequenciou o RNA de 18 amostras obtidas de polvos mortos de diferentes espécies. Esse sequenciamento forneceu um perfil do RNA mensageiro e do pequeno RNA nele contido. Os resultados foram surpreendentes: a edição de RNA estava ocorrendo em áreas inesperadas.

A equipe encontrou 164 genes de microRNA agrupados em 138 famílias de microRNA no polvo comum. Esses números são equivalentes aos de animais como galinhas e sapos (o genoma humano codifica cerca de 2.600 microRNAs maduros); 42 das famílias eram novas, principalmente no cérebro e no tecido neural.

“Esta é a terceira maior expansão de famílias de microRNA no mundo animal e a maior fora dos vertebrados”, diz o biólogo Grygoriy Zolotarov, pesquisador do Centro de Regulação Genômica da Espanha.

Os próprios microRNAs são moléculas de RNA não codificantes que estão fortemente envolvidas na regulação da expressão gênica, ligando-se a moléculas de RNA maiores para ajudar as células a ajustar as proteínas que criam.

A descoberta dessas famílias de microRNA indica que elas ainda desempenham um papel na biologia do polvo, embora os cientistas ainda não saibam qual é esse papel ou com quais células os miRNAs estão envolvidos. Os pesquisadores sugerem que “mi[cro]RNAs e, talvez, suas funções neuronais especializadas estão profundamente ligadas e possivelmente necessárias para o surgimento de cérebros complexos em animais”.

Os cientistas planejam tentar descobrir exatamente o que esses microRNAs estão fazendo em estudos futuros.

Publicidade
Publicidade