Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Saúde

Cigarro não afeta só pulmão; coitada da pele…

Carolina Paiva, Edição

Não é segredo que o cigarro faz mal para a saúde. Contudo, além dos efeitos nocivos como problemas pulmonares, cardíacos e até mesmo diversos tipos de câncer, o hábito de fumar causa também danos à pele, maior órgão do corpo humano.

Segundo o dermatologista Erasmo Tokarski, o fumo pode deixar a pele mais envelhecida e, em pouco tempo, causar diversas outras alterações e problemas, principalmente no rosto, que apresenta uma camada mais fina que as demais áreas.

“Além do envelhecimento precoce, o cigarro pode causar rugas, manchas, opacidade e até mesmo alteração de cor”, ressalta o profissional.

Tokarski explica que o rosto do fumante fica mais propício a apresentar flacidez porque a nicotina destrói e atrapalha diretamente a produção de colágeno e elastina.

“O rosto pode apresentar marcas de expressão como se fossem vincos, linhas nos cantos do olho e ao redor dos lábios, ossos ressaltados, lábios arroxeados e bochechas aprofundadas, entre outros efeitos causados pela repetição do movimento de tragar que, com o tempo, reduz a elasticidade e força da região”, detalha.

Mas diante de tantos problemas na pele originados pelo fumo, é possível recuperar a saúde da região? De acordo com Erasmo Tokarski, em geral, as alterações desencadeadas pelo fumo são irreversíveis, contudo,é possível minimizar esses efeitos incômodos.

O profissional esclarece que, para um bom resultado, além de pôr fim ao hábito de fumar, é preciso buscar tratamentos com profissionais especializados que aliem ativos antioxidantes e hidratantes, a fim de proteger a pele do agente agressor. Além disso, ele registra que o acompanhamento profissional é fundamental pois só o médico será capaz de identificar o que aquela região precisa. O especialista ainda ressalta que a cicatrização em feridas cirúrgicas nos pacientes que fumam é bastante ruim e, por este motivo, o cirurgião plástico e o dermatologista não fazem procedimentos em fumantes, a não ser que o paciente pare de fumar com pelo menos 1 mês de antecedência.

“Atualmente, há bastante opção no mercado, tudo vai depender do objetivo final do paciente. Para atenuar as linhas de expressão, por exemplo, é possível realizar aplicações de toxina botulínica e preenchimentos. Já se o propósito for reduzir manchas, a luz pulsada pode ser uma das indicações. Outra alternativa é investir em produtos com partículas iluminadoras, a fim de conferir luminosidade ao rosto. A cicatrização em feridas cirúrgicas é muito ruim e assim sendo, o cirurgião plástico e o dermatologista não fazem procedimentos em fumantes, a não ser que pare de fumar 1 mes antes”, explica.

Dicas de pele saudável
Mantenha uma alimentação balanceada;
Beba água frequentemente;
Use filtro solar diariamente;
Hidrate a pele do corpo sempre após o banho;
Conheça o seu tipo de pele e invista em cuidados;
Evite fumar e a exposição ao Sol sem proteção.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente