Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Respeito à intimidade

CNJ decide que revista em mulher deve ser feita por mulher

Publicado

Foto/Imagem:
Fernando Rocha

O Tribunal de Justiça de São Paulo tem 90 dias para adequar o processo de vistoria pessoal e de revista de bolsas, sacolas e pastas para o acesso às unidades. O órgão deve garantir, nesse prazo, que os procedimentos sejam feitos por servidores, servidoras ou agentes de segurança do mesmo gênero que a pessoa averiguada. A decisão foi tomada pelo conselheiro do Conselho Nacional de Justiça Marcos Vinicius Jardim Rodrigues, em julgamento do Pedido de Providências n. 0010092-71.2017.2.00.0000. Reforçando decisão liminar de 2018 no mesmo processo, o conselheiro entende que “a revista em bolsas e sacolas de mulheres, que é uma extensão de sua intimidade, por agentes de segurança do sexo masculino caracteriza a extrapolação dos limites impostos ao poder fiscalizatório dos Tribunais nos prédios da Justiça”.

Publicidade
Publicidade