Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Compra de votos pode derrubar governador

Compra de votos em pleno Século XXI, nem na piauiense Correntes. Foto/Arquivo Notibras
José Seabra

O governador Ibaneis Rocha (MDB), pode perder o mandato que levou com uma mão na frente, outra atrás – e muita promessa falsa para o eleitor brasiliense. Há provas de que ele cometeu crime eleitoral durante a campanha. É o que se deduz da interpretação do Código Eleitoral, segundo juristas consultados nesta terça, 7.

O que deve mandar o emedebista para o cadafalso, com perda do mandato e cassação dos direitos políticos por oito anos,  é um vídeo a que Notibras teve acesso com exclusividade. No filme, onde aparece rodeado de concurseiros da Companhia do Metrô (empresa pública de Brasília), Ibaneis promete emprego desde que ‘votem no 15’.

“Está claro (no vídeo) que Ibaneis promoveu a compra de votos durante a campanha. O flagrante incontestável é o vídeo, em que o hoje governador, ignorando as leis que regem o concurso público, condiciona a contratação de aprovados desde que votem nele, ou seja, no 15”, afirmou um especialista em Direito Eleitoral.

Um advogado que transita com liberdade nos corredores do Tribunal Superior Eleitoral considera o fato ‘gravíssimo’. Esse profissional, que mantém o nome sob reserva para ‘não ser assediado’, já decidiu ingressar com uma ação diretamente no TSE pedindo a perda do mandato de Ibaneis.

Adversários políticos de Ibaneis avaliam que o governador será ‘finalmente desmascarado’ de suas táticas eleitorais para vencer as eleições em Brasília na base do toma-lá-dá-cá. Na melhor das hipóteses, afirmam entendidos na legislação eleitoral e trabalhista, ele ameaçou direitos conquistados legitimamente.

Veja o vídeo:

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente