Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Casa e Decoração

Comprar móveis na quarentena exige cuidados

Ana Lourenço

A quarentena estimulou as pessoas a mudarem a decoração da casa. Aqueles que não se contentaram somente com as mudanças de lugar dos móveis ou com a reforma de móveis antigos, optaram pelas compras online para revitalizar o espaço. Se por um lado comprar online facilita a vida, é preciso estar atento para que a compra não se torne um pesadelo. “São pequenos detalhes que a gente tem que se propor a perceber”, resume a arquiteta Paula Carvalho.

De acordo com a loja de móveis e decoração MadeiraMadeira, móveis para escritório e para o quarto tiveram um crescimento de aproximadamente 200% desde março. O crescimento em volume de vendas mês a mês na plataforma foi de cerca de 61% no mesmo período. Já a Tok&Stok registrou um crescimento de 68% no primeiro semestre de 2020 em seu e-commerce, em comparação com o mesmo período em 2019.

“Se compararmos apenas o 2º trimestre de 2020 (abril-junho), o crescimento foi de 110% em relação ao mesmo período do ano anterior”, informou a assessoria da marca. Segundo a empresa, os móveis mais buscados foram acessórios de cozinha e acessórios de mesa.

Isabella Martim, de 25 anos, se mudou para São Paulo no começo de julho e organizou as encomendas para todas chegarem em dias próximos. “Já posso tirar minha pós em logística depois disso”, brinca ela, que comprou de guarda-roupa a tapetes e almofadas.

Antes de finalizar a compra, contudo, é fundamental ficar atento se o produto escolhido atende à sua função primordial.

No caso de uma poltrona, por exemplo, devem ser observados, além de preço e design, se ela é realmente confortável. “Eu não arriscaria comprar cama, cadeiras e sofá durante a pandemia. Você corre o risco de receber uma coisa que não é tão confortável quanto você imaginava”, diz ela.

Confira algumas dicas para ter sucesso em sua compra online:

Meça tudo
Essa é a dica mais importante. Não adianta comprar algo que não caberá na casa. Por isso meça, no mínimo duas vezes, o lugar que irá hospedar o móvel e confira as medidas do móvel no site. Lembre-se também de medir os espaços entre os outros móveis. Por exemplo, se for comprar um sofá retrátil, garanta o espaço para a peça totalmente aberta, para que ela não bata na mesa de centro. Uma dica para quem for fazer uma mudança mais profunda é marcar com fita adesiva, no chão, o espaço que os móveis novos irão ocupar. Não esqueça de avaliar também se o móvel passará entre portas, escadas, etc. na hora da entrega.

​Pesquise
Cheque a credibilidade da loja. “É preciso verificar se o site é realmente um site idôneo, ver se entrega no prazo, buscar referências de outras pessoas que buscaram no mesmo site…”, ensina Paula. Segundo ela, procurar se há reclamações da loja também é muito importante. Sites como o do Procon-SP (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo), Reclame Aqui e as redes sociais da loja são excelentes fontes de pesquisa.

Fique atento à garantia
Muitas vezes o objeto sai em perfeito estado da loja, mas durante o transporte, pode sofrer danos. Atente-se para o prazo da garantia, para não perder a peça. “O que eu aconselho é já não receber. Se programe para estar em casa no dia que a peça chegar, abra e veja se está tudo ok. Se não estiver, não receba. A dor de cabeça pode ser maior”, sugere Paula.

Outro motivo de troca, acontece quando as cores que aparecem na tela não são fiéis à realidade. “Se você não conhece a loja, pode haver divergência entre o produto solicitado e o enviado”, diz ela.

Calcule o valor absoluto da peça
Em algumas lojas, o frete pode ser mais alto do que o móvel adquirido, além de outras taxas adicionais. Caso você não tenha em vista um objeto de uma loja específica, busque alternativas. Ao pesquisar na internet, o ideal é colocar o maior número de detalhes possíveis, portanto é importante que você já tenha o formato, cor, e material decididos. Fique atento e busque o melhor preço.

Planeje a montagem
Algumas lojas disponibilizam a montagem no ato da entrega, outras não oferecem o serviço, e há também a possibilidade de você mesmo montar a peça, pagando por ela um preço menor. Isabella, após receber todos os produtos, contratou um “marido de aluguel” para montar os móveis. “Ele veio em casa e instalou tudo em uma tarde. Foi bem tranquilo”, diz ela. Para quem já tem experiência, siga o manual de instruções para montar – ter em casa ferramentas como chave de fenda, martelo e alicate é primordial. Vídeos tutoriais na internet também podem ajudar.

Atente-se para a decoração
Sabe aquele sofá azul que fica lindo no ambiente rosa da foto do Pinterest? Pode ser que ele não fique igual no seu quarto, onde as cores e os materiais são diferentes. Por isso, Paula recomenda procurar ajuda de um profissional. “Vale a pena pagar uma consultoria e ter uma coisa mais assertiva, do que você tentar fazer sozinha, errar, pagar por isso e ter que refazer. É muito mais fácil já ir direto no problema.”

Isabella, que é formada em arquitetura, decidiu usar seu conhecimento para criar o ambiente. “Eu fiz o projeto no 3D do meu computador e coube tudo certinho”, diz ela, que, por morar em um imóvel alugado, não comprou móveis planejados. “Tive de pesquisar muito bem antes para conseguir bons móveis com as medidas certas.”

Higienize
Em tempos de coronavírus, todo cuidado é pouco. Ao receber um prestador em casa, certifique-se de que ele esteja de máscara e, se possível, fazendo uso do propé (espécie de sapatilha protetora usada sobre os sapatos). “Sempre pergunto como ele vai vir, se está paramentado. Mas é bom já estar preparado para higienizar o sapato e o móvel”, diz Paula.

Caso ele não esteja de máscara, o ideal é não deixar entrar na residência. “Peça para que ele deixe no local, e só depois que ele estiver a três metros de distância pegue o móvel”, indica o infectologista Renato Grinbaum. “Lembre-se de que o prestador de serviço é uma pessoa como outra qualquer. Devemos seguir as mesmas regras que em qualquer outro contato social. Distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos”, explica.

Atenção também para a limpeza do móvel. “Geralmente, o fabricante indica o material de conservação e já fala com quais produtos limpar. Caso ele for limpo com um produto abrasivo a garantida pode ser perdida”, afirma a arquiteta Paula. Tecidos de couro, por exemplo, não resistem ao álcool. “Detergente e água: é a melhor coisa para limpar”, indica.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente