Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Comunicação corporativa ajuda a vencer a crise

Sérgio Mansilha

Como um evento de “escala de paisagem”, as crises vêm em intensidades diferentes. Dessa forma, a Covid-19 criou grande incerteza, aumentou o estresse e a ansiedade, e estimulou a visão de túnel, na qual as pessoas se concentram apenas no presente e não no futuro.

Durante essa crise, quando as informações não estão disponíveis ou são inconsistentes, e quando as pessoas se sentem inseguras sobre o que sabem (ou se alguém sabe), a ciência comportamental aponta para um desejo humano cada vez maior de transparência, orientação e compreensão do que aconteceu.

Sendo assim, a comunicação corporativa durante a pandemia COVID-19 oferece uma oportunidade para novas análises de teoria e prática a partir de perspectivas interdisciplinares e multiculturais. Avaliações conceituais e baseadas em evidências associadas ao envolvimento e bem-estar dos colaboradores serão de particular interesse.

Pessoal, o trabalho dos profissionais de comunicação tornou-se complicado nesta época sem precedentes; no entanto, seu poder também cresceu. Na melhor das hipóteses, a comunicação corporativa são uma força para ajudar as pessoas a enfrentar os desafios e as mudanças provocadas pela pandemia.

E nesse aspecto o entendimento crucial é afirmar que a comunicação corporativa nada mais é do que pessoas se comunicando com outras pessoas. Se você jogar fora a parte “corporativa”, em última análise estaremos falando com seres humanos. As duas perguntas que sempre faço são:

Quem é seu público? Como sua comunicação agrega valor?

Além disso, entregar valor se tornou mais importante do que nunca em vários níveis, desde o valor do seu produto até o valor do que você está dizendo. Então, aqui está outra pergunta que uso para focar nossa comunicação:

Por que devemos esperar que nosso público preste atenção a esta mensagem em particular?

Costumo dizer como profissional nesse segmento que o meu trabalho nesse campo é garantir que tudo o que dissermos seja útil e acessível, para que tenha ressonância com o público-alvo, ao mesmo tempo que se vincula aos negócios.

A comunicação corporativa é particularmente desafiadora quando não sabemos quando e como as pessoas vão voltar para suas vidas diárias. Apesar das circunstâncias, devemos estar presentes, autênticos, empáticos e o mais transparentes possível. Mesmo que suas notícias não sejam boas, as pessoas o respeitam por isso.

Especialmente no ambiente atual, as pessoas precisam que suas perguntas básicas sejam abordadas sobre suas vidas e meios de subsistência, como:

Como isso vai me ajudar no trabalho? Quais produtos eu preciso para fazer meu trabalho melhor? Quando os serviços serão reabertos Como posso estar seguro durante esse tempo? Como posso obter ajuda se precisar?

É útil fornecer informações importantes por meio de uma ampla variedade de canais. Vai uma dica, façam um Plano de Continuidade de Negócios, por exemplo, usem e-mails e postagens em blogs para garantir que os clientes potenciais (interno e externo), parceiros e colaboradores sejam atualizados rapidamente sobre como estamos gerenciando a pandemia. Usem mensagens de texto, ferramentas de colaboração e web conferência para atualizar colaboradores, parceiros e clientes sobre outras iniciativas e projetos.

E não se esqueça de procurar novas ideias. Ter um negócio resiliente e sustentável e uma equipe executiva experiente que pode fornecer informações valiosas sobre como as empresas podem e devem seguir em frente, é de suma importância. A pandemia COVID-19 mudou-nos para sempre. No entanto, da adversidade pode haver oportunidade. Ao enfrentar este desafio, obrigou-nos a ser melhores. Existem inovações que permanecerão conosco por muito tempo depois que a crise acalmar. Também gostaria de pensar que nossa comunicação se tornaram mais empáticas, atenciosas e úteis.

Não se esqueçam de lembrar dos três c’s (Comunicação – Colaboração – Confiança). Muitos líderes empresariais e oradores estarão familiarizados com os três C’s quando se trata dos princípios de boa comunicação frequentemente ensinada. A necessidade de comunicadores eficazes serem claros, concisos e consistentes é um fator muito importante, pois, a falta de clareza e consistência nas mensagens pode ter consequências significativas.

Em um ambiente de negócios, a clareza da comunicação em todos os níveis é fundamental para a produtividade e o desempenho, mas como uma parte da força de trabalho no Brasil está trabalhando remotamente, muitas empresas consideram isso um desafio maior do que o normal. Em algumas pesquisas que fiz no início deste ano observei que os trabalhadores remotos acreditam que sua produtividade havia caído desde que trabalhavam em casa, e atribuíram isso a dificuldades de comunicação.

Do ponto de vista da liderança empresarial, não se trata de ter todas as respostas ou comunicar-se apenas quando há boas notícias para contar; em vez disso, requer honestidade sobre os desafios excepcionais que todos enfrentamos, as medidas tomadas para enfrentá-los e os obstáculos e inevitáveis contratempos que podem ocorrer ao longo do caminho. A comunicação verdadeiramente autêntica tem o poder de trazer o público interno e externo nesta jornada com você e criar a lealdade do cliente ou colaborador que pode ser inestimável para o futuro de uma empresa.

Embora as ações definitivamente falem mais alto do que as palavras, com ou sem razão, nestes tempos desafiadores, muitas vezes são as palavras (e a forma como são comunicadas) e não apenas as ações pelas quais os indivíduos e empresas serão lembrados. Uma comunicação forte e eficaz, portanto, provará ser mais crítica do que nunca para as empresas e líderes nesse ano de 2021

Garantir que a comunicação corporativa seja enviada com responsabilidade aplica-se a todos dentro da empresa. Não importa quem você seja ou qual seja sua função. Isso pode incluir CEOs, executivos seniores e até advogados internos que também devem tomar todas as precauções e dar o exemplo. Mesmo que uma comunicação não tenha a intenção de ser ofensiva, um erro ainda pode ter implicações potencialmente graves. As empresas devem não apenas considerar o que está sendo dito nas comunicações comerciais e de marketing, mas também considerar as comunicações internas da empresa que devem continuar a pensar na implementação de práticas de comunicação responsáveis, mesmo quando estão apenas passando informações externas.

Os gestores e líderes de equipe também devem considerar como seus colaboradores estão interagindo com partes externas ou clientes. Check-ins periódicos e comunicações proativas são essenciais para que os colaboradores entendam que, embora a empresa esteja trabalhando em um ambiente de maior comunicação por escrito, a importância de cumprir as políticas, regras e regulamentos da empresa não mudou.

Enfim, enquanto os desafios de se comunicar de maneira responsável durante um ambiente de pandemia estão evoluindo, incentivar os colaboradores a fazer perguntas, manter linhas de comunicação abertas com eles e implementar as melhores práticas de comunicação pode ajudar a organização a se comunicar de forma mais eficaz e responsável, não apenas durante uma pandemia, mas também durante os “tempos normais”.

Nota: As habilidades de pensamento crítico e escrita que aperfeiçoei durante minha carreira profissional em programas de comunicação corporativa me serviram até hoje. Eu me considero um contador de histórias, trabalhando em estreita colaboração com os CEOs, gestores, equipe de relações públicas, colaboradores, parceiros e clientes para tornar a história das corporações poderosa, autêntica e atraente em todos os canais. Adoro criar e contar histórias e dar vida ao que as pessoas (e as empresas são feitas de pessoas) estão fazendo para influenciar a forma como vivemos e trabalhamos hoje.

Pense nisso.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2021 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente