Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Sem condições de trabalho, pediatras rejeitam contrato



O Governo do Distrito Federal ofereceu um salário ‘gordo’ para que pediatras trabalhassem nos hospitais públicos em regime temporário. Mas, apesar do valor (17 mil 600 reais) pouca gente se interessou.  O motivo: as péssimas condições da rede pública de saúde.

É o que afirma reportagem do G1, transcrita a seguir.

Mesmo oferecendo salários de até R$ 17,6 mil, a Secretaria de Saúde recebeu apenas cinco inscrições para a seleção para contratar temporariamente 80 pediatras para unidades da rede pública do Distrito Federal. O valor é 63% maior que a remuneração oferecida em concurso público para as mesmas vagas – R$ 10,8 mil. Para o presidente do Sindicato dos Médicos, Gutemberg Fialho, péssimas condições de trabalho e contrato precário, que não prevê os mesmos benefícios que têm os servidores efetivos, afugentam os candidatos apesar da “boa oferta”.

A previsão inicial era de que o reforço contribuísse para normalizar os serviços nos hospitais regionais de Santa Maria, que teve a pediatria fechada por falta de profissionais, e do Gama, que está funcionando de sábado a terça pelo mesmo motivo. As informações sobre a seleção foram publicadas no Diário Oficial de 5 de maio, e a proposta era de que os documentos fossem entregues até o dia 8. Os candidatos tinham opção de escolher entre 20 horas semanais ou 40 horas semanais. O concurso tem validade de um ano, prorrogável por igual período.

De acordo com a Secretaria de Saúde, 13 pessoas chegaram a se interessar, mas apenas cinco entregaram o que foi solicitado – 0,06 candidato por vaga. Ainda não há prazo nem o local de lotação dos novos funcionários. Atualmente, a pasta tem 713 pediatras. Dados do sindicato apontam que há 1,3 mil especialistas na área cadastrados no Conselho Regional de Medicina. Fialho afirma que o GDF precisa mudar a estratégia, já que as seleções temporárias não têm atraído a quantidade pretendida de candidatos. “A gente está batalhando por um sistema de saúde padrão Fifa, e o governo insistindo em manter esse padrão de segundo mundo”, afirmou. “Há sobrecarga de trabalho, médicos adoecendo, médicos sendo ameaçados pela população que não tem atendimento e fica revoltada e população ameaçando botar fogo na emergência por falta de profissionais.”

A secretaria não comentou as declarações do presidente do sindicato. A previsão é de que o próximo concurso para a área aconteça no dia 7 deste mês. Serão oferecidas 665 vagas imediatas para médicos, sendo 76 para pediatras. Os salários variam entre R$ 5,4 mil e R$ 10,8 mil. O edital foi publicado pelo Instituto Americano de Desenvolvimento.

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente