Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Os encrencados

CPI tem depoimentos-chave após breve pausa

Publicado

Foto/Imagem:
Pretta Abreu/Foto de Arquivo

Dois dos mais aguardados depoimentos da CPI do Genocídio estão marcados para esta semana. Ambos têm relação com o escândalo da fracassada compra da vacina indiana Covaxin, com intermediação da Precisa Medicamentos. Na terça-feira (14), a comissão conta com a presença de Marcos Tolentino da Silva; e na quarta-feira (15), com a de Marconny Albernaz de Faria. Tolentino é acusado de ser sócio oculto da FIB Bank, empresa que se apresentou como fiadora no contrato da Precisa e que, apesar do nome, não é uma instituição financeira. Ele seria ligado ao deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, apontado como articulador de negociações sob suspeita de irregularidades. Marconny Albernaz de Faria, por sua vez, teria atuado como lobista para viabilizar o contrato da Precisa com o Ministério da Saúde.

Publicidade
Publicidade