Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Veículos

Creta cria caçamba para enfrentar picapes

Foto/Divulgação
Tião Oliveira

O novo Creta chegará às concessionárias Hyundai do Brasil no próximo semestre. Não se trata da segunda geração, que deve ficar para 2020, mas de uma atualização.

O SUV compacto feito em Piracicaba (SP) receberá elementos de estilo das picapes conceituais Santa Cruz, revelada nos EUA em 2015, e Creta STC, aprestada em 2016 no Salão do Automóvel de São Paulo.

O trem de força do novo Creta não vai mudar. Há duas opções de motor (1.6 de até 128 cv e 2.0 de até 150 cv) e duas de câmbio (manual e automática), ambas de seis velocidades.

Na dianteira, as atualizações do novo Creta incluem a grade, que ficará maior, o para-choque e os faróis com desenho mais afilado. As lanternas traseiras também devem ganhar retorques.

A cabine ficará mais refinada, com novos elementos e sistema multimídia atualizado. Também é possível que a marca ofereça opção de teto solar, item atualmente indisponível no SUV feito no Brasil.

Outra novidade que a Hyundai deve trazer em breve é a linha N. A marca vem fazendo pesquisas com consumidores brasileiros para avaliar a aceitação de possíveis versões esportivas.

O estudo também avalia o interesse por opções esportivadas (sem alterações mecânicas e com elementos visuais como rodas grandes, saias laterais, etc.). A maior aposta para o País seria um Creta N.

O primeiro movimento da marca nessa direção foi o lançamento do Creta Sport, no fim de 2017. O SUV tem o mesmo motor 2.0 flexível de 166 cv de potência e 20,5 mkgf de torque.

Já o visual traz diferenciais como detalhes pretos no para-choque dianteiro e no contorno da grade. Há ainda barras de teto longitudinais, retrovisores com luz indicadora de direção, protetores de para-choque dianteiro e traseiro, faróis com projetor e luz diurna DRL de LEDs com marcação em tom preto no interior.

O i30N, primeiro modelo da nova divisão da Hyundai, foi apresentado no fim de 2017. O hatch produzido na Coreia do Sul tem moto 2.0 turbo de 275 cv e 36 mkgf, tração nas quatro rodas e câmbio manual de seis marchas.

Mas é improvável que o rival do Volkswagen Golf GTI seja vendido no Brasil. Além de o segmento de hatches médios estar perdendo espaço para o de SUVs, o i30N seria muito caro no País.

O foco de todas as marcas tem sido os SUVs. No mês passado a Hyundai lançou na Europa o Tucson N Line. O modelo manteve os motores 2.0 turbodiesel de 184 cv e 1.6 turbo com 177 cv.

Porém, o centro técnico da marca na Alemanha recalibrou as suspensões e a direção, de modo a melhorar as respostas do modelo.

Outra novidade que aponta para a vinda da linha N ao País é a criação da Copa HB20. Os detalhes da nova categoria do automobilismo nacional serão revelados na terça-feira (9) no Autódromo de Interlagos, na zona sul de São Paulo.

O objetivo da Hyundai é evidenciar o aspecto esportivo de seus produtos. Nos carros da Copa HB20 o motor 1.6 foi retrabalhado para gerar cerca de 160 cv e 18 mkgf. Na versão R Spec, que serve de base para a categoria, são 128 cv e 16,5 mkgf, respectivamente.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente