Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Decotelli pede demissão e acaba a novela do MEC

Pretta Abreu

O militar da reserva Carlos Decotelli não é mais ministro da Educação. Nomeado na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro, ele sequer assumiu o cargo. O ex-futuro-ministro esteve no Planalto na tarde desta terça, 30, e entregou sua carta de demissão.

O professor teve sua formação acadêmica questionada por diferentes setores ligados à educação e ciência. Ao contrário do que diz seu currículo, Decotelli não é doutor em nada. Muito menos com cursos em universidades da Argentina e da Alemanha.

A carta de demissão foi entregue ao general Braga Netto, ministro-chefe da Casa Civil. Incomodado por mais um ‘equívoco’ de Decotelli, o presidente Bolsonaro recusou a receber o ex-ministro em seu gabinete.

A demissão será oficializada nas próximas horas. O Palácio do Planalto evita comentar a saída de Decotelli para que o gesto não faça sombra ao anúncio, por Bolsonaro, de mais duas parcelas de 600 reais do o auxílio-emergencial.

Evangélico, oficial da reserva da Marinha, Decotelli seria o primeiro negro a ocupar um cargo na Esplanada dos Ministérios no governo de Jair Bolsonaro. A gota d’água para a demissão foi nota da Fundação Getulio Vargas, informando que ele não foi pesquisador ou professor da instituição, como consta no currículo do ex-ministro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente