Tema espinhoso

Ditadura vira a bola da vez no debate eleitoral

Foto/Arquivo Notibras
Marta Nobre, Edicão

A cada eleição, coordenadores de campanhas, marqueteiros e candidatos tentam se preparar para os temas mais espinhosos da disputa. Quase sempre assuntos inesperados acabam mudando seus roteiros e centralizando as atenções. Por mais que o militarismo seja característica de Jair Bolsonaro poucos imaginavam que debater a ditadura seria importante no início da atual campanha. Foi assim também em 2010, quando Dilma Rousseff e José Serra se digladiaram sobre o aborto. Ou em 2006, quando a discussão sobre as privatizações foi um fator na derrota de Geraldo Alckmin para Lula.

COMPARTILHE