Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Casa e Decoração

Do piso ao teto, um luxo que parece galeria de arte

Carolina Paiva, Edição

Recém-casados, os moradores de um apartamento de 122 m² no bairro de Perdizes, em São Paulo, já tinham uma arquiteta em mente quando receberam o imóvel ainda no contrapiso. Madrinha de casamento, a arquiteta Ana Paula Henriques, do escritório Loft87, ganhou a responsabilidade de tornar os sonhos do casal realidade em uma obra que durou seis meses e criou ambientes amplos, pensados para receber.

Inicialmente com três quartos, a planta perdeu um dos cômodos para a ampliação da sala, agora integrada à cozinha, sala de jantar e home office. “Para valorizar essa integração, criamos uma enorme bancada, que se estende da cozinha à varanda, onde serve de apoio para o bar”, destaca Ana. A transição entre o ladrilho hexagonal e o porcelanato ajuda a delimitar a área da cozinha, trazendo graça à paleta com tons de azul e cinza.

Além do espaço de bar, a antiga varanda deu lugar à sala de jantar e uma parede verde, pedido do casal para que estivessem em contato com a natureza. Na sala de estar o destaque fica para a estante, um mix de marcenaria e serralheria desenhado pela arquiteta. “Como a moradora às vezes trabalha em casa, queria um home office charmoso, que não precisasse ser escondido na hora de receber. Optamos por móveis sob medida iluminados pelo tecido usado ao fundo, em tons de verde e azul”, conta. Para conferir unidade, toda a marcenaria do apartamento foi realizada em um tom de MDF que se assemelha ao freijó.

Até mesmo a lavanderia foi contaminada pelo astral da paleta, com azulejos rosas. No lavabo, a escolha do papel de parede foi orientado por um gosto pessoal da moradora, nutricionista e apaixonada por abacaxis. “Já para o banheiro da suíte, eles queriam algo com cara de spa. Sugeri os seixos selados que trazem esta sensação diferente, mas aconchegante. Fizemos também uma cuba esculpida grande o suficiente para atender os dois e, no restante, trabalhamos com cimento queimado”, explica a arquiteta.

O quarto recebeu um piso de carvalho que, junto ao veludo verde, ajuda a aquecer o ambiente com cores mais sóbrias. “Como eles precisavam ampliar o espaço de armazenamento, criamos essa bancada que conta com armários extras e até uma penteadeira escondida sob o tampo”, destaca.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente