Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Enem usa versos de Renato Russo; futuro de brilho

Carolina Paiva

Quem leu atentamente, entendeu. Disciplina é liberdade; e compaixão é fortaleza. Mesmo porque, para quem busca o rumo do sucesso, o amor (alicerce do querer) tem sempre a porta aberta. Mas, não é só isso. Para quem acredita, sempre existe um caminho quando tudo parece estar perdido. E mais: o ser humano sempre terá coisas bonitas para contar.

Esses pensamentos de Renato Russo, cantados em prosa e verso por uma incontável legião de brasileiros e fãs além-mar do compositor, foram usados nas capas dos cadernos das provas aplicadas pelo Enem no domingo, 3, a milhões de pessoas em todo o País. E o futuro, a partir daí, passou a ser desenhado com mais brilho.

A iniciativa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, foi uma forma de burlar eventuais fraudes ao escolher uma personalidade. E o homenageado, fundador da banda Legião Urbana, transportou os candidatos no tempo. E do passado, vislumbraram, nas provas, um novo tempo.

Uma das formas que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), usa para burlar fraudes é a escolha de uma personalidade ou um tema para estar na capa dos cadernos de provas. O homenageado deste ano foi o cantor e compositor Renato Russo, fundador da banda Legião Urbana.

Para alguns candidatos, o acalento no momento de tensão da prova veio com os versos “Venha, o amor tem sempre a porta aberta / E vem chegando a primavera / Nosso futuro recomeça / Venha, que o que vem é perfeição”, da canção Perfeição.

Para outros, o recado de Renato Russo chegou em tom de esperança com as frases “Quando tudo está perdido / Sempre existe um caminho / Quando tudo está perdido / Sempre existe uma luz”, da música A Via Láctea.

Os cadernos azuis foram marcados na capa com os versos “Disciplina é liberdade / Compaixão é fortaleza”, da música Há Tempos; e os amarelos com a frase “Teremos coisas bonitas para contar”, da canção Metal Contra as Nuvens.

Para a carioca Adriana Molina, radicada em Salvador, foi uma inspiração para os filhos na hora da prova. Já a Soraia Souza, de Governador Valadares, Minas Gerais, disse que amou a homenagem e fez a do caderno amarelo, destacando o trecho da canção Metal Contra as Nuvens, “Teremos coisas bonitas para cantar”.

O carioca Ricardo Guimarães, disse que “não imaginava que fosse feito isso em todos os cartões” e que “quase chorou” de emoção quando leu o trecho da canção “Perfeição”.  Para muitos, ficou a certeza (que não caiu na prova) de que esse é o País: No Amazonas, no Araguaia iá, iá / Na Baixada Fluminense / Mato Grosso, Minas Gerais / E no Nordeste tudo em paz.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente