Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mulher

Está na hora de aprender a viver a dois

Carolina Paiva, Edição

Definir o amor nunca é uma tarefa fácil, principalmente pelo fato de que ele sempre é diferente conforme a vivência de cada indivíduo, que passou por diferentes experiências e sensações desse tão famoso amor.

Assim, a única coisa que podemos dizer é que o amor é o responsável pela criação de relacionamentos. Primeiramente, conhecemos o amor em nossos relacionamentos familiares, depois nas amizades e, por fim, começamos a nos relacionar com alguém que no futuro pode se tornar a pessoa pela qual viveremos por todo o resto de nossas vidas.

Porém, o amor é algo complicado. Ele é um conjunto de sentimentos, sendo todos eles internos. Assim, nós mesmos somos os únicos a termos acesso a esses sentimentos, sendo eles sempre privados.

Por conta disso, muitas vezes o nosso conceito de “estou apaixonado” é diferente do conceito do outro. O outro, no seu conceito, pode estar só passando por um momento de euforia ou de vontade de ter uma pessoa ao seu lado. No entanto, nem sempre isso é real, já que o sentimento de amor varia conforme cada indivíduo diferenciado.

Relacionamento saudável
O conjunto de sentimentos que define o amor certamente é a palavra-chave para que os relacionamentos ocorram. Entretanto, nem todo relacionamento se alimenta unicamente de amor.

Muitos acreditam que pelo grande amor se torna necessário sacrificar a própria vida pessoal, assim como a autoestima ou, até mesmo, a dignidade.

Todavia, isso, na realização, não passa de possessão. Para que o relacionamento seja realmente saudável, rico e agradável, alguns aspectos também devem ser considerados, além da forte paixão e atração pelo parceiro.

A vida a dois exige muito mais do que simplesmente amor: ela também significa respeito, amizade, parceria e a própria vontade de realizar projetos em comum. Assim, é claro que o amor e a atração – tanto físicos, quanto mentais – se tornam essenciais, mas, de longe, não conseguem sobreviver sozinhos por muitos anos.

Assim, lembre-se sempre de dar prioridade para a relação que você leva com o seu parceiro, e não para o amor que vocês sentem um para o outro. Se for realmente um relacionamento saudável, o amor e os outros aspectos se encontrarão.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente