Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Curiosidades

‘Extinção de dinos foi uma mira certeira no alvo’

Carolina Paiva, Edição

Há cerca de 66 milhões de anos, uma rocha espacial gigante atingiu a Terra, destruindo mais da metade da vida em nosso planeta e, presumivelmente, levando à extinção de dinossauros. No entanto, a cratera deixada pelo impacto revela agora que não foi apenas a massa do asteroide que levou a consequências tão dramáticas.

Uma equipe de pesquisadores analisou a cratera Chicxulub no México com a ajuda de simulações em 3D para concluir que o asteroide atingiu a Terra em um ângulo de até 60 graus, ampliando muito mais os danos até então imaginados.

“O impacto de Chicxulub foi um dia muito ruim para os dinossauros”, disse o professor Gareth Collins, do Imperial College de Londres, e o principal autor do novo estudo. “Torna-se ainda mais notável saber que a vida sobreviveu e se recuperou tão rapidamente quanto”, acrescentou.

De acordo com a equipe, que também incluiu pesquisadores da Universidade de Freiburg e da Universidade do Texas, se o impacto ocorreu em ângulos mais rasos ou quase verticais, a quantidade de poeira ou outros detritos depositados na atmosfera como resultado da colisão poderia ter sido significativamente menor, levando a resultados diferentes.

“Sessenta graus é um ângulo de impacto mais letal porque ejeta uma quantidade maior de material com rapidez suficiente para engolir o planeta”, explicou o professor Collins. “O impacto de Chicxulub provocou uma extinção em massa porque expeliu grandes quantidades de poeira e gás da cratera com rapidez suficiente para dispersar tudo ao redor da Terra”.

A pesquisa concluiu que a rocha espacial se aproximava da Terra a partir do nordeste, levando à emissão de enxofre no ar na forma de pequenos pedaços, bloqueando o Sol por algum tempo e resultando no resfriamento do nosso planeta.

Os cientistas ainda não são capazes de entender por que o evento levou à extinção de apenas certas espécies, enquanto 25% da vida na Terra sobreviveu. Análises futuras da cratera Chicxulub, de 200 quilômetros de largura no sul do México, poderão, no futuro, lançar um pouco mais de luz sobre esta questão.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente