Dutch  English  French  German  Italian  Portuguese  Russian  Spanish

1 a 0 no América

Flu quebra jejum de gols após oito jogos e continua na Série A

Foto/EstadãoConteúdo
Mário Camargo, Edição

O Fluminense quebrou o jejum de gols, evitou o rebaixamento e de quebra faturou uma vaga na Copa Sul-Americana de 2019 ao derrotar o América-MG por 1 a 0, na tarde deste domingo, no Maracanã, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Richard foi o autor do gol de cabeça que acabou com um longo jejum após oito jogos sem marcar do time carioca.

O resultado levou o Fluminense aos 45 pontos, subindo para o 12º lugar, na zona de classificação para a Sul-Americana. O América-MG, por outro lado, acabou rebaixado, com 40 pontos, em 18º lugar.

O Fluminense entrou na rodada ameaçado pelo rebaixamento e chegou a ver sua situação quase se complicar quando Luan teve a chance de abrir o placar em cobrança de pênalti no primeiro tempo. Júlio César conseguiu defender. O goleiro ainda saiu como um dos heróis do jogo ao defender outra finalização cara a cara quando o placar estava zerado.

Depois da eliminação na Sul-Americana para o Atlético-PR, no meio de semana, e da invasão de torcedores ao CT do clube antes do último treino, o Fluminense viu seu bastidor fervilhar novamente antes da partida deste domingo. Sornoza e Everaldo ficaram fora do time titular. Eles teriam pedido para não jogar por estarem sem condições psicológicas. O interino Fábio Moreno, contudo, justificou as saídas como uma opção de “montagem um pouco mais cascuda” para a equipe.

Com a nova formação, o Fluminense tentou usar a velocidade de Marcos Junior e Luciano para surpreender o América-MG. Mesmo com mais posse de bola, o time carioca não teve forças para transformar a superioridade em chances reais de gol. Kayke e Luciano assustaram, mas quando o jogo marcou 18 minutos, o Fluminense aumentou o indigesto jejum sem marcar gols para 13 horas (se somados os minutos dos jogos que disputou anteriormente).

Aos poucos, o América-MG saiu de trás e criou boa chance com Mateusinho. Ele apareceu na área para finalizar cruzamento da direita, mas mandou por cima. Aproveitando o bom momento, o time mineiro adiantou a marcação e teve a principal chance do primeiro tempo. Aderlan apareceu nas costas da marcação pela esquerda, cortou Marlon dentro da área, mas foi parado com falta Pênalti. Luan foi para a cobrança, mas parou em Júlio César. No rebote, Rafael Moura teve a oportunidade, mas mandou para fora. Como o gol estava custando a sair, a defesa da penalidade serviu como um alívio e incendiou as arquibancadas do Maracanã.

A atmosfera parecia favorável, mas o time tricolor seguia com erros de posicionamento na defesa e permitindo que o América-MG chegasse. Após grande passe de Rafael Moura, Luan saiu de cara para o gol. O atacante finalizou em cima de Júlio César, mas a bola seguiu na direção do gol. Em cima da linha, Gum evitou o pior.

O contorno dramático se tornou alívio para o Fluminense aos 40 minutos. Após escanteio, em bola levantada na área, Richard subiu no meio da defesa americana e fez o desvio de cabeça para o fundo das redes, quebrando o longo jejum de gols e dando um respiro aos tricolores.

O começo do segundo tempo foi totalmente do América-MG. Logo aos seis minutos, Júlio César fez um pequeno milagre. Após chute cruzado de Aderlan, a bola desviou em dois jogadores do Fluminense, mas o goleiro tricolor, mesmo caído, mandou para escanteio. Logo em seguida, Luan finalizou mascado e a bola sobrou para Matheusinho. O camisa 10 encheu o pé e errou o alvo por pouco.

Encurralado, o Fluminense assustou o América-MG apenas aos 15 minutos. Em nova jogada de bola parada, Luciano acertou o travessão de João Ricardo em cabeçada. Com o passar do tempo, o time mineiro aumentou o nervosismo e viu o cansaço tomar conta. Essa equação teve como resultado a queda de produção.

Mesmo assim, Matheus Ferraz e Rafael Moura finalizaram com perigo ao gol do Fluminense. Contra o relógio, os visitantes não tiveram mais pernas para chegar e, mesmo com oito minutos de acréscimos, voltaram melancolicamente para a Série B.

COMPARTILHE