Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

França manda Irã parar testes com mísseis. ‘Nem à força’, diz Teerã

Foto/Sputniknews
Bartô Granja, Edição

Teerã será forçado a reconsiderar suas relações com as potências européias se forem impostas novas sanções contra o Irã por causa de suas atividades de testes com mísseis, informou neste sábado, 26, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Bahram Qassemi.

“O Irã sempre buscou consolidar a paz e a estabilidade na região e acredita que a venda em massa de armas sofisticadas e agressivas pelos EUA e alguns países europeus, incluindo a França, prejudicou a estabilidade e o equilíbrio na região”, indicou o diplomata, segundo para PressTV .

As observações de Qassemi seguem os comentários do ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, na sexta-feira de que Paris imporá novas sanções contra Teerã caso as conversações sobre o programa de mísseis do Irã não sejam concluídas. “Estamos prontos, se as conversações não produzirem resultados, para aplicar as sanções com firmeza, e elas sabem disso”, disse Le Drian.

Enfatizando que as capacidades militares do Irã eram governadas por uma “doutrina de dissuasão” defensiva, Qassemi disse que o Irã “projetou suas capacidades de defesa com base em uma avaliação realista das ameaças existentes” e fortaleceria essas capacidades se necessário.

“A capacidade de mísseis do Irã não é negociável, e isso foi trazido à atenção do lado francês durante o diálogo político entre o Irã e a França”, afirmou Qassemi.

Mais cedo, diplomatas disseram que a UE estava ponderando novas sanções contra o Irã por causa de seu programa de mísseis, com as possíveis restrições, incluindo congelamento de ativos e proibição de viagens de membros da Guarda Revolucionária e indivíduos ligados ao programa de mísseis do país.

Os Estados Unidos, que se retiraram unilateralmente do acordo nuclear do Irã com o plano de ação do Joint Comprehensive of Action (JCPOA) em maio passado, advertiram o Irã a não se engajar em atividades de teste, e pressionou a UE a sancionar Teerã.

As autoridades iranianas indicaram repetidamente que o seu programa de mísseis estava de acordo com os termos do JCPOA e a resolução da ONU que o rege, e indicaram que as capacidades de mísseis do Irão não estavam preparadas para negociação. O Irã acumulou um grande arsenal de sistemas convencionais de mísseis de curto, médio e longo alcance, que insiste serem de natureza puramente defensiva.

Na semana passada, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, acusou Teerã de “desafiar” a comunidade internacional e alegou que o Irã estava “perseguindo capacidades aprimoradas de mísseis que ameaçam a Europa eo Oriente Médio”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente