Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Generais vão ao Congresso apoiar Augusto Heleno

Major-brigadeiro Jaime Sanchez

A manifestação de 15 de março tinha tudo para ser apenas mais um passeio dominical das famílias de bem, já que tudo que era possível de se protestar já havia sido utilizado nos movimentos anteriores.

Já estava perdendo a graça desperdiçar as manhãs de domingo para chamar políticos de ladrões; dizer que o STF foi escolhido especialmente por bandidos fantasiados com faixas presidenciais para defendê-los dos seus crimes contra a Nação; colocar bonecos dos irmãos metralha com as caras deles todos; gritar dos carros de som que o Gilmar Mendes é um libertador de bandidos; que a Suprema Casa da Mãe Joana não descansou enquanto não soltou o mega ladrão, que hoje faz política no Brasil e no exterior, atentando contra a imagem do País e a honra do Presidente da República; que a sucuri de duas cabeças (Congresso e Supremo) quer sufocar o governo até a sua morte; denunciar que a Globo está contaminado nossos lares com aberrações sexuais, propaganda das drogas, apologia ao crime organizado e até já começou a querer descriminalizar a pedofilia.

Nada disso surte mais efeito.

Eles estão “capiii e andando” para o que pensa e sente a sociedade.

Eis que o milagre acontece.

O Presidente encaminha um vídeo a um amigo e este repassa a informação à famigerada rede globo. Das duas uma: foi uma grande canalhice ou um golpe de mestre. Prefiro ficar com a segunda opção.

Voluntária ou involuntariamente, foi uma preciosa jogada de contrainformação, já que a manifestação foi incrivelmente catapultada, ocupando um enorme espaço gratuito na mídia e, o que é melhor, em todos os noticiários da globo. Os fantoches do ponto eletrônico se deliciavam fazendo críticas do movimento, sem perceber que se tratava de propaganda do inimigo.

Com voracidade, os tubarões morderam a isca, ou melhor, a língua: a mídia, o Congresso, o STF, a OAB e até a intrometida CNBB.

Com isso, a manifestação tem tudo para se tornar a nova “marcha da família, com Deus, pela liberdade”. Com a diferença de que não teremos mais o saudoso e patriota Roberto Marinho para comandar a cobertura jornalística.

Se realmente o Presidente pretendesse divulgar o evento, seria muito mais produtivo se publicasse nas outra ferramenta das redes sociais de que dispõe onde, segundo a consultoria Bites, é o 4º maior líder mundial em número de seguidores, com mais de 27 milhões.

Mas ele, burro, resolveu convocar apenas alguns amigos em rede privada particular.

No profético vídeo, o narrador interpreta a vontade popular e diz: “Basta!”. “O Brasil só pode contar com você. O que você pode fazer pelo Brasil? O poder emana do povo. Vamos resgatar o nosso poder. Vamos resgatar o Brasil.”

O estopim desse resgate pode vir a ser a eventual convocação do General Heleno para uma audiência pública, também por uma atitude privada e particular. Teria sido outro golpe da contrainformação?.

Caso isso ocorra, o que no fundo não acredito, peço máxima vênia aos companheiros mais antigos dos grupos dos quais participo para convidar todos os militares para juntos lotarmos as galerias do Congresso, seja na Câmara ou no Senado, para demonstrar nosso apoio e nossa concordância com sua oportuna observação.

Um condenado solto pela complacência da Suprema Corte incita seus correligionários a imitar a violência ocorrida no Chile e nada acontece; outro condenado, José Dirceu, libertado pelas mesmas excelências, diz que irão tomar o poder e não será pelas urnas e nada acontece; a presidenta do Partido dos Trabalhadores declara que seu o partido vai apoiar manifestações violentas no país, silêncio total!

Tudo isso infringindo todas as leis a esse respeito, especialmente o Código Penal, no TÍTULO IX, Dos crimes contra a paz pública, incitação ao crime, Art. 286 – Incitar, publicamente, a prática de crime.

E o judiciário mudo e conivente.

A conjuntura mostra que realmente está chegando a hora do resgate e a Constituição Cidadã não dá a mínima chance.

O ideal é que esse resgate fosse pela lei ou pelas mãos da sociedade civil…

Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente