Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


O abuso

Gravação fraudulenta não vale como ilícito eleitoral

Publicado

Foto/Imagem:
Pretta Abreu - Foto de Arquivo

O TSE confirmou nesta quinta (21), por maioria, o entendimento de que é ilegal o uso de gravações feitas em ambientes privados, sem conhecimento do outro e sem prévia autorização judicial, como prova de ilícitos eleitorais. O reconhecimento por parte da corte se deu durante o julgamento de um caso sobre prática de abuso do poder econômico e compra de votos, nas eleições de 2016, pelo candidato a vereador do município de São Pedro da Água Branca (MA) Marcelo Pereira da Silva (PMDB) e pela esposa dele, Dorica Munique Balbino da Silva.

Publicidade
Publicidade