Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Mundo

Guerra comercial EUA-China pode acabar em tiros

Bartô Granja, Edição

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, alertou os Estados Unidos neste domingo, 18, sobre os riscos de os americanos venderem caças F-16 para Taiwan, observando que Pequim responderá à medida e que Washington “terá que arcar com todas as conseqüências”.

“A China insta os EUA a reconhecer plenamente a natureza altamente sensível e prejudicial da questão relevante, respeitar o princípio de uma China e os três comunicados conjuntos China-EUA, abster-se de vender caças F-16 a Taiwan e parar as vendas de armas e contato militar com Taiwan “, afirmou.

A resposta de Pequim vem na esteira dos EUA aprovarem informalmente a venda de 66 caças F-16, avaliados em cerca de US $ 8 bilhões, O anúncio da venda foi elogiado pelos congressistas norte-americanos, com Jim Inhofe, presidente do Comitê de Serviços Armados do Senado, e seu colega senador John Cornyn, alegando que a medida permitiria que Taiwan “dissuadisse a agressão” à luz das atividades de Pequim no Mar do Sul da China. O democrata da Câmara, Eliot Engel, e o republicano Michael McCaul afirmaram em comunicado conjunto que a venda “envia uma forte mensagem” sobre a política dos EUA na região.

Anteriormente, o Departamento de Estado dos EUA aprovou US $ 2,2 bilhões em vendas de armas para Taiwan, incluindo 100 tanques M1A2T Abrams e mísseis Stinger, apesar dos protestos de Pequim. O Departamento de Estado afirmou que o acordo visa “promover a paz” na região. Pequim vê Taiwan como uma de suas províncias, embora a ilha tenha proclamado independência, algo que tem sido reconhecido por alguns países e que se governa desde 1949. A China tem repetidamente criticado os EUA por tentar fornecer assistência militar à ilha.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente