Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Veículos

Harley fará moto de baixa cilindrada na China

José Antônio Leme

A Harley-Davidson acaba de confirmar um acordo com a Qianjiang Motorcycle para produzir motos de baixa cilindrada na China. O acordo contempla uma “linha de motocicletas” e não apenas um produto.

O primeiro produto da parceria será uma motocicleta com motor de 338 cm³. Esse é o menor motor produzido pela Harley-Davidson em sua história. A primeira motocicleta chegará às lojas no final de 2020 na China, e em outros mercados da Ásia em sequência.

A Qianjiang é a empresa-mãe das marcas Keeway e Benelli, que anunciaram uma vinda ao Brasil em 2013. A primeira nunca chegou a ser vendida, que eram motos de baixa capacidade cúbica, enquanto a segunda, que originalmente era italiana, teve uma operação que durou apenas um ano no País. Ela é uma subsidiária para produtos de duas rodas da Geely, empresa chinesa de carros e acionista da Volvo.

A Harley-Davidson tomou a decisão, mesmo contra a vontade do presidente norte-americano Donald Trump, que quer que todo produto americano seja fabricado no País e não fora, independentemente dos custos mais altos.

Contudo, a marca pretende que metade de suas vendas venham de mercados internacionais até 2027. Isso porque a marca está em franca queda de vendas nos Estados Unidos, onde sua base de clientes envelheceu e está parando de consumir seus produtos.

“É uma pena, mas nós estamos seguindo com nossa estratégia para garantir que nós iremos preservar a integridade e o potencial de crescimento dentro do mercado europeu”, disse o CEO da companhia, Matthew Levatich.

A marca já experimentou nos últimos anos um sucesso em segmentos menores com a Street 500. Ela foi criada para o mercado indiano, onde a média cilindrada ganha força e briga com as 500 da Royal Enfield.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente