Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Saúde

Idade é um número no caminhar e no paladar

Sérgio Mansilha

Não gosto de pensar que estou envelhecendo. Prefiro usar o termo politicamente correto, ou seja, dotado de desenvolvimento. Eu posso ter inventado isso, mas soa bem.

Afinal, a idade não é uma questão do ponto de vista de uma pessoa?

Aprendi com um comercial de TV que não estou envelhecendo, estou melhorando. E ouvi durante anos que você tem a idade que sente.

Não é que eu esteja passando por uma crise de velhice. É que ficar grisalho tem um efeito moderador. Imagino que, com minha imaginação quando jovem de ler alguns livros sobre arqueologia, meus amigos de infância se tornarão mais interessantes para mim à medida que envelhecem, mas não tenho certeza se outras pessoas sentirão o mesmo por mim.

Por que algumas pessoas parecem nunca envelhecer?

Lembro-me de um senhor num documentário, aos 72 anos, ele pulou do cais segurando uma corda de esqui e deslizou descalço até o pôr do sol. Eu tentei esquiar uma vez quando tinha 12 anos. Depois de quatro horas tentando me puxar para cima no esqui, meu corpo parecia um California Raisin (passas antropomorfizadas), e meu professor sugeriu que eu jogasse futebol.

Não posso deixar de me perguntar sobre o senhor Marcos Tavares, que, na casa dos 80 anos, pronunciou mais palavras do que o McDonald’s produz hambúrgueres. E havia o Doutor Roberto, um médico de 90 anos no Leblon que praticava medicina seis dias por semana. Talvez cabelos grisalhos não signifiquem pensamentos confusos, afinal.

Decidi que deveria fazer pesquisas sérias, então fiz uma viagem à biblioteca virtual. Quando minha filha veio me procurar naquela tarde num final de semana, eu estava encostado na cama, enterrado sob um monte de páginas na web em meu tablet com o assunto sobre envelhecimento.

“O que você está fazendo?” Ela perguntou.

“Lendo sobre os benefícios do exercício. ”

“Na cama?” Ela parecia um enigma. “Por que você simplesmente não sai e dá um passeio?”

“Não consigo andar agora”, rebati. “Estou lendo um artigo fascinante sobre o efeito dos exercícios no envelhecimento. ”

Ela balançou a cabeça e saiu para correr.

No final da semana, terminei vários volumes sobre nutrição, criatividade e leitura. Eu parecia ter a leitura sob controle. Para economizar tempo e acelerar as coisas, combinei criatividade e nutrição.

Primeiro, joguei fora a lista de compras feita pela minha esposa que usei nas últimas semanas. Ficou difícil decifrar de qualquer maneira. Piquei tudo feito com farinha branca, açúcar, cafeína e gordura animal. Na hora do jantar, meus filhos entraram em fila e se sentaram à mesa.

Passei pelo prato principal ansiosamente, esperando uma reação.

Os meus filhos, sentindo que algo não estava certo, pararam com os garfos no ar e deram uma mordida.

“O que é isso?” Minha filha perguntou com a mandíbula cerrada.

“Farelo de aveia! ” Eu sorri com orgulho.

Então, estava de volta à prancheta. Semicerrando os olhos com olhos míopes, ainda estou procurando por respostas.

Enfim, o único processo que consegui diminuir ou reverter é o apetite da minha família. Quanto aos exercícios, decidi que é melhor ler tudo a respeito.

Pense nisso.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente