Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Meu pirão primeiro

Índia proíbe exportação de trigo para ter comida

Publicado

Foto/Imagem:
Deexa Khanduri/Via Sputniknews - Foto Reprodução

O governo indiano proibiu as exportações de trigo com efeito imediato, de acordo com uma notificação oficial emitida pela Direção Geral de Comércio Exterior (DGFT) na noite de sexta-feira. “A exportação de todo o trigo, incluindo as variedades de pão duro de alta proteína e pão mole normal, passou da categoria livre para a categoria proibida a partir de 13 de maio (sexta-feira)”, diz a notificação, citando “um aumento repentino nos preços globais de trigo decorrente de muitos fatores” como a principal razão para a restrição.

No entanto, dois tipos de exportação ainda serão permitidos. Em primeiro lugar, o governo federal disse que as exportações serão permitidas para os “vizinhos e outros países em desenvolvimento vulneráveis ​​que são afetados negativamente pelas mudanças repentinas no mercado global” com base na permissão concedida pelo governo central “para atender a sua segurança alimentar”. A segunda é a exportação em regime transitório, “quando uma carta de crédito irrevogável foi emitida até a data desta notificação, sujeita à apresentação de provas documentais conforme prescrito”, acrescentou.

Mas, por que o estoque da Índia está acabando? O certo é que a demanda por trigo ou produtos à base de trigo da Índia aumentou desde o início da operação militar especial da Rússia na Ucrânia. A Rússia e a Ucrânia respondem por mais de 28% das exportações globais de trigo.

No contexto da operação especial de Moscou para “desmilitarizar e desnazificar a Ucrânia”, os suprimentos de trigo em quase 55 países foram atingidos, devido aos altos preços do trigo e à escassez de suprimentos em particular, levando os governos a procurar exportadores alternativos.  O déficit global combinado projetado no fornecimento de trigo devido à crise na Ucrânia é de cerca de 60 milhões de toneladas.

Além disso, na Índia, a produção de trigo foi prejudicada devido a um aumento repentino nas temperaturas na segunda quinzena de março no país. Devido a isso, os agricultores relataram um declínio de 15% a 20% em seu rendimento de produção. Em 2021-22, os estoques iniciais do país foram de 27,3 milhões de toneladas, com o governo adquirindo 43,3 mi de agricultores.

Este ano, os estoques iniciais foram de 19 milhões de toneladas e, até agora, o governo adquiriu 18,5 milhões de toneladas de trigo, a menor quantidade desde 2007-08, quando foram compradas 11,1 milhões de toneladas. O governo estendeu o prazo de compras até junho. No início de maio, o Departamento de Alimentos e Distribuição Pública (DFPD) da Índia disse que o governo conseguiu adquirir 16 milhões de toneladas de trigo até 2 de maio, quase 30% menos do que conseguiu comprar dos agricultores durante o mesmo período. período do ano passado.

Publicidade
Publicidade