Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Suspense na Justiça Eleitoral

Jogo político pode virar para Paula aos 45 do segundo tempo

Publicado

Foto/Imagem:
Pretta Abreu - Foto de Arquivo

A novela da Federação PSDB-Cidadania em Brasília inda não acabou. O último capítulo pode ser escrito nesta quinta, 11, ou no mais tardar na sexta-feira, 12. E a expectativa crescente é a de que a deputada federal Paula Belmonte (Cidadania) ganhe na Justiça o direito de disputar o Palácio do Buriti, no lugar do senador Izalci Lucas (PSDB).

Já há jurisprudência formada no Supremo e no TSE. No Ceará, por exemplo, a Justiça Eleitoral barrou uma aliança do PSDB de Tasso Jereissatti com o PDT de Ciro Gomes. Em Brasília, em mais uma reviravolta do imbróglio Pros, Alexandre de Moraes decidiu que Eurípedes está fora (ao menos até o julgamento da medida cautelar), devolvendo o comando da legenda a Crispiniano Espíndola Wanderley.

Ainda sobre o Pros, mas na Paraíba, Alexandre de Moraes decidiu que a presidência da Comissão Provisória do partido fica com Adauto Tavares Leite. Como os ponteiros dos relógios não param e a data-limite para as inscrições de chapas se encerra às 23h59 do dia 15, Ricardo Lewandowski determinou, em caráter de urgência, a entrega da ata da Federação PSDB-Cidadania, onde Paula Belmonte venceu Izalci por 8 a 3. E o ministro quer deixar tudo às claras em tempo hábil.

Se a Justiça for realmente cega, Paula terá direito a se candidatar ao Buriti. Aí, será a vez de a deputada sentar-se com seu marido, Luiz Felipe Belmonte (PSC), vice na chapa de Paulo Octávio (PSD), para traçarem, juntos, os novos rumos. Hoje, se o martelo for batido, fica apenas uma certeza. Essa será a chapa majoritária. Resta definir quem será o cabeça, o vice e o candidato ao Senado.

Publicidade
Publicidade