Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Cultura

Marafreboi entra no Ano 12 gravando DVD

Carolina Paiva, Edição

A Orquestra Popular Marafreboi, já tradicional em Brasília, acaba de registrar sua caminhada musical em DVD.  A gravação foi no Museu Vivo da Memória Candanga. Os próximos passos, agora, serão direcionados a um moderno projeto de ampliação de alcance do público, por meio das plataformas online.

Desde 2008, a Orquestra difunde as tradições pernambucanas no Distrito Federal, movimentando a cena da cultura popular e divertindo foliões em sua trajetória, conduzida pela batuta do maestro Fabiano Medeiros. Segundo ele, a expectativa com o lançamento do precioso registro é também a de empoderar a imagem da orquestra no mundo virtual, fortalecendo, assim, a representatividade desses ritmos, como já o fazem presencialmente com o Noites Pernambucanas.

“Nesse projeto, a gente traz artistas de Recife. É uma relação cultural entre Pernambuco e Brasília, uma vez que dentro do círculo carnavalesco de Brasília, existe uma diversidade de ritmos, entre eles, o frevo. O projeto fez que a orquestra começasse a dialogar com artistas e mestres da cultura popular do Recife. Já vieram Claudionor Germano, Maestro Spok, Maestro Forró, Getúlio Cavalcanti, Maestro Ademir Araújo”, explica Medeiros.

Estendendo os convites ilustres à composição do elenco de estrelas nas gravações, a Marafreboi trouxe o maestro Ademir Araújo (PE), conhecido como Maestro Formiga. Suas contribuições para a música brasileira superam os 50 anos e tiveram o devido reconhecimento, em 2013, quando de sua escolha como Patrimônio Vivo de Pernambuco. “O Maestro Fabiano escolheu um frevo, que foi o primeiro que escrevi, para entrar no DVD. Para mim é uma satisfação fazer parte deste momento histórico”, conta O Maestro Formiga sobre sua atuação com o tema Furacão.

Além dessa ilustre presença, a orquestra traz outras importantes participações vocais. Sàh Santos (GO) canta Capoeira, de Jorge Recife, Cristiane Visentin (MG), interpreta Bom Sebastião, de Getúlio Cavalcanti e Aquarela do Brasil de Ary Barroso, e Ed Carlos (PE) reverbera sua conhecida voz em Chapéu de Sol, de Mestre Capiba.

Reconhecida no Distrito Federal como representante célebre da ancestralidade musical nordestina, além de ser a única orquestra de sopros do Centro-Oeste com foco nessas matrizes, a Orquestra Popular Marafreboi prevê o lançamento do DVD para fevereiro, durante o período que melhor evidenciou seu trabalho e suas raízes, o Carnaval.

Em um espetáculo construído por dezoito músicos e dez bailarinos, doze faixas de puro deleite contarão mais de uma década de frevos, maracatus e bois, interpretados pela tradicional Orquestra, em um espaço considerado um dos cartões-postais do quadradinho, o Museu Vivo da Memória Candanga. O museu, além de um monumento de evidente valor estético, agrega história ao projeto audiovisual.

“O museu foi escolhido por ser um patrimônio histórico e cultural do DF e um espaço que conta um pouco do surgimento de Brasília, da vinda dos candangos para cá. O Maestro Fabiano escolheu esse lugar, porque é muito representativo, é um lugar que carrega as memórias e a história de Brasília”, relata Lorena Oliveira, gestora cultural do Beco da Coruja Produções, que, em parceria com o Instituto Janelas da Arte, realiza e produz a gravação.

A realização da obra conta ainda com o apoio do Museu Vivo da Memória Candanga e da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (SECEC), além de recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC).

Durante os trabalhos, todas as precauções demandadas pelo crítico momento foram tomadas. Seguindo os critérios de segurança sanitária determinados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o registro foi realizado com o devido distanciamento social, sem aglomerações, portanto, sem a presença do público, e com o uso de equipamento de proteção individual e álcool gel.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente