Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Mensagens falsas no Zap provocam tsunami no Planalto

Foto/Reprodução
Antônio Albuquerque

Falsas mensagens no WhatsAap estão se transformando em um tsunami que pode varrer o celeiro de intrigas em que se transformou o Palácio do Planalto. E não são meras marolas. São ondas devastadoras semelhantes a grandes ressacas do mar. A hecatombe é mais um lance no intricado jogo de xadrez entre a ala militar do governo e os olavetes capitaneados pelo filósofo Olavo de Carvalho.

O alvo dessa artimanha é o general Santos Cruz, ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República. Suspeita-se que as digitais encontradas na trama sejam as mesmas que derrubaram Gustavo Bebianno da Secretaria-Geral do Planalto. O objetivo é fritar Santos Cruz. O general está no Texas, Estados Unidos, para onde viajou na noite de terça, 14, com o presidente Jair Bolsonaro.

As falsas mensagens foram trocadas no dia 6 de maio, entre 8h04 e 8h32 da manhã. Apresentam um fictício diálogo entre Santos Cruz e um interlocutor não identificado; atribuem a Santos Cruz o que ele não disse. E dão a entender que o general considera o presidente um covarde. O texto, a que Notibras teve acesso, joga o general contra o capitão.

“Quem fabricou o diálogo falso, onde eu apareço falando mal do presidente, dos seus familiares e do vice-presidente (Hamilton Mourão) é um vagabundo”, desabafou Santos Cruz em conversa com amigos pouco antes de embarcar no avião presidencial com destino ao Texas. “O autor dessa ardileza cometeu um crime absurdamente mal feito, pois o print da tela revela que o ‘diálogo’ foi no dia 6 de maio, dentro do horário em que eu estava voando de Brasília para São Gabriel da Cachoeira”.

São Gabriel fica no Amazonas. A diferença de fuso para Brasília é de 1 hora. Naquele dia 6 de maio, das 6 horas às 10 horas (horário de Brasília), enquanto as supostas mensagens eram trocadas, o general Santos Cruz estava sobrevoando uma região inóspita, onde internet não pega nem com a ajuda de satélites da mais alta tecnologia.

– E agora, general, qual será o próximo passo para desmascarar esses criminosos?, perguntou um interlocutor de Santos Cruz na noite de quarta, 14.

– Agora é com a Polícia Federal. Está na hora de acabar com toda essa farsa, respondeu Santos Cruz.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente