Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasil

Mourão, já sem Covid, avisa que vacina é geral

Mário Camargo, Edição

A campanha de vacinação em massa contra o novo coronavírus deve atingir toda a população, e não apenas um público A ou B. Foi o que disse nesta segunda, 11, o vice-presidente Hamilton Mourão, em sua primeira declaração pública após se recuperar da Covid. Ele mesmo disse que está ansioso para ser vacinado, mas “sem furar fila”.

“Dentro da minha vez (será vacinado). Eu sou grupo dois, de acordo com o planejamento. Não vou furar a fila. A não ser que seja propagandística, tá bom”, afirmou o vice. “Eu acho que a vacina é para o país como um todo, uma questão coletiva não é individual. Indivíduo aqui está subordinado ao coletivo, nesse caso”.

Mourão também falou sobre sua recuperação. “Eu tive três dias de sintomas mais pesados e depois não. Tomei a medicação que é preconizado e a partir do quinto, sexto dia eu estava bem.” Ele disse que entre a medicação tomou hidroxicloroquina.

O vice-presidente declarou ainda que a medicina tem feito um papel bom, apesar do aumento do número de casos da doença. “A nossa medicina está salvando mais de 97% das pessoas que são contaminadas. Infelizmente, esse número tem elevado. Eu perdi nesses últimos dias dois amigos de longa data pra essa doença, mas a nossa medicina tem feito um papel muito bom. Quando olha a realidade dos números, existe um número significativo de gente que faleceu, mas nós temos mais de 7 milhões de pessoas que estão curadas.”

Mourão disse que o governo está preparado para iniciar a vacinação e que o problema com a falta de seringas e agulhas não afetará o planejamento. “Eu julgo que o pessoal da Saúde vinha preparando isso aí. Eu desde o ano passado disse que o governo ia adquirir toda e qualquer vacina que fosse certificada pela Anvisa. Ficou aquela discussão e, no final das contas, estão sendo adquiridas as vacinas que vão ser certificadas. Os estados têm material para iniciar a imunização e o governo federal pode fazer uma requisição de seringas e agulhas e completar aquilo que for necessário.”

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente