Curta nossa página


Mulher enfrenta divórcio e faz festa atirando no vestido de noiva

Publicado

Autor/Imagem:


Após concluir um doloroso divórcio, a americana Wendy Lewis decidiu que só podia comemorar de uma forma: descarregar as balas de uma metralhadora em seu vestido de noiva.

Ela reuniu suas amigas, pegou o vestido e viajou para Las Vegas para um fim de semana prolongado. Lá, uma visita para uma escola de tiro foi organizada por uma pequena empresa que está na dianteira de um dos negócios que mais crescem na cidade: o planejamento de festas de divórcio.

“(Wendy) nunca tinha segurado em uma arma, mas levou seu vestido de noiva ao campo de tiro e pendurou-o ali”, conta Glynda Rhodes, a organizadora do evento. “Se você pudesse ver o olhar dela enquanto atirava no vestido. Dava para sentir que ela estava extravasando toda aquela raiva.”

Antes de descobrir o novo mercado, Rhodes, informa reportagem da BBC Brasil, trabalhava sobretudo com momentos mais felizes dos relacionamentos: despedidas de solteiro.

Nos últimos anos, Rhodes (que, por sinal, é divorciada) começou a receber um crescente número de pedidos de pessoas, tanto homens quanto de mulheres, querendo celebrar o fim de sua união matrimonial. Em 2012, ela lançou a empresa The Divorce Party Planner, que tem crescido como outras do tipo nos EUA.

Além das visitas a clubes de tiro, Rhodes organiza idas a casas noturnas, restaurantes, shows de strip-tease e saltos de paraquedas – este último, para pessoas que querem “saltar de volta à vida de solteiro”.

O custo dos pacotes de Rhodes varia de US$ 1 mil a US$ 4,8 mil (R$ 2,5 mil a R$ 12,3 mil).

Para as pessoas que prefiram um evento mais modesto e sóbrio para marcar o fim de um casamento, existe a opção de encomendar um “bolo de divórcio”.

A padaria Elite Cake Creations, em Cooper City, perto de Miami, recebe de três a quatro encomendas de bolos do tipo por mês.

A proprietária Beatriz Otero diz que um cliente homem pediu, certa vez, um bolo em formato de uma mochila de golfe com os dizeres: “até que enfim livre, indo jogar golfe”.

A maioria dos pedidos, no entanto, é a de uma foto da noiva arrastando o noivo pela perna, com um cartaz que diz “jogue-o no lixo”.

Há também bolos com imagens de noivos sendo devorados por jacarés ou desmembrados em uma jacuzzi.

“Havia feito o bolo de casamento de uma cliente e, cinco anos depois, fiz seu bolo de divórcio”, diz Otero. “Relacionamentos são difíceis. Minha forma de ajudar é deixando um pouco mais doce uma situação amarga.”

Pequenos empreendimentos estão aproveitando o aumento do número de pessoas que celebram seu divórcio, mas o que explica esse fenômeno? E será que essa comemoração é positiva?

A psicóloga Robin Deutsch, diretora do Centro de Excelência para Crianças, Famílias e a Lei, na Escola de Psicologia Profissional de Massachusetts, diz que se trata de algo positivo.

“O crescimento da indústria da (celebração) do divórcio se relaciona ao fato de que as pessoas querem reconhecer a perda por meio de um ritual”, diz. “Acho que dá (às pessoas) uma sensação de esperança e encerramento emocional. Elas fazem o que acham necessário para seguir em em frente, e o ritual para isso é escolha delas.”

Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2023 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.