Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Vileza do senador

Mulheres repudiam ataques de Izalci e dão apoio a Paula

Publicado

Foto/Imagem:
Pretta Abreu , Edição- Foto Reprodução

Mais de 300 mulheres prestaram apoio à deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF), que está está tendo negado o direito de participar da chapa majoritária da federação PSDB-Cidadania. Elas assinaram uma carta aberta em que  chamam a  atenção para a sequência de atos que desrespeitam a trajetória de Paula Belmonte.

“Não permitir a uma mulher ter o direito de fala é violência. Não permitir que uma mulher possa concorrer com um homem, mesmo tendo mais argumentos, números e fatos a seu favor, é violência. Expor seu estado de saúde vazando o seu atestado médico é violência. E não será (essa violência) tolerada”, escreveram.

O documento adverte para os episódios recentes, como na reunião da federação PSDB-Cidadania, que supostamente teria decidido a favor do senador Izalci Lucas, assim como narrativas sendo exploradas na imprensa, a exemplo da divulgação do atestado médico da deputada. A deputada cobra a apuração dessas situações e o possível enquadramento em violência política contra a mulher e violação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

O manifesto em defesa de Paula Belmonte foi redigido em reunião na residência de Beth Cupertino, presidente do PRTB no Distrito Federal. Tem o seguinte teor:

Qualquer violência deve ter o repúdio de todos. A violência contra a mulher, então, não pode ter nenhum espaço. Em hipótese nenhuma. A nossa combativa e respeitada Deputada Federal, Paula Belmonte, tem sofrido violência política, nos seus direitos e na exposição de sua saúde.

Fatos que jamais podem ser escondidos pelo viés das narrativas contraditórias: violência é violência. Não permitir a uma mulher ter o direito de fala é violência. Não permitir que uma mulher possa concorrer com um homem, mesmo tendo mais argumentos, números e fatos a seu favor, é violência. Expor seu estado de saúde vazando o seu atestado médico é violência. E não será tolerada.

Esta não é apenas mais uma nota em favor de Paula Belmonte. É um chamamento pela união ainda mais das mulheres contra esses ataques. Estamos juntos com Paula. Pela dignidade dela e de cada uma de nós.

Publicidade
Publicidade