Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Curiosidades

Mundo se une para implodir o astro da morte

Foto/Sputniknews
Bartô Granja

Astrônomos, geólogos, engenheiros espaciais, militares e astrofísicos de todo o mundo começaram a se reunir nesta segunda-feira, 29, na Agência Espacial Européia (ESA, na sigla em inglês) para desenvolverem exercícios futuristas sobre um eventual choque contra a Terra do asteroide  “2019 PDC”. As reuniões vão até a sexta, 3.

Estudos preliminares indicam que esse astro sideral errante pode vir em direção à Terra em meados de 2027.  A ideia é buscar formas que possam destruí-lo antes de uma aproximação perigosa.

O cenário de impacto hipotético entregue aos participantes nesta semana indica que o “2019 PDC” apareceu pela primeira vez nos radares em 26 de março último. Se a rota dele for mantida, o impacto aconteceria no dia 26 de abril de 2027. As chances de um choque, que há um mês estavam em 1 para 50 mil, passou, na semana passada, de 1 para 100.

“Quando foi detectado pela primeira vez, o asteroide 2019 PDC estava a cerca de 57 milhões de quilômetros da Terra. Sua velocidade é considerada baixa se comparada a de outros astros – “apenas 14 quilômetros por segundo”, informou a ESA. Ainda segundo a Agência Espacial Europeia, “muito pouco se sabe sobre as propriedades físicas do asteroide. Mas, pelo seu brilho, os especialistas determinam que o tamanho do diâmetro pode ter até 300 metros”.

Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente