Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Aventura de Serginho ameaça reino da Terracap

Foto/Reprodução
José Seabra

Os leitores de Notibras – entre os quais se encontram autoridades do Ministério Público e políticos comprometidos com os interesses da sociedade – são cultos, inteligentes e donos de boa memória. Sabem interpretar textos, por mais metáforas que sejam usadas. Principalmente em tempos de caça ao jornalismo investigativo, imparcial e independente.

Há momentos em que é necessário transformar casos em contos. E tomar emprestados personagens de Monteiro Lobato, mesmo que se lhes dando, como nas Aventuras do Sítio do Pica-pau Amarelo, nomes fictícios.

É o caso da Terracap, empresa pública que administra o imenso latifúndio da capital da República. Lá há um Pedrinho, aqui nominado Serginho, com suas aventuras mirabolantes. Mas, ao contrário do garoto travesso e aventureiro do Sítio, o do Reino da Terracap é maléfico.

Essa história começa paralelamente ao governo de Ibaneis Rocha (MDB). Embora negue ser corporativista, o ex-presidente da OAB no Distrito Federal gosta de nomear colegas advogados para cargos-chave no governo. E muitas vezes não mede as consequências.

Na Terracap, como no Sítio do Pica-pau Amarelo, as invertidas e pouco divertidas travessuras de Serginho surpreendem. Logo ele, que ganhou um cargo de direção criado especialmente por Ibaneis na sede do latifúndio, entre um e outro gole. E os novos negócios vão acontecendo.

A via é de mão dupla, torta como as pernas de Mané Garrincha, homenageado com o nome dado ao estádio de Brasília. Mas nosso Serginho tem um sobrenome cientificamente pomposo: Juglans regia L. Quer mais um nome nesse intricado jogo praticado na lama? Valos lá: tire uma letra da marca de proteínas Whey. Pronto. Está quase acertando.

Como estamos tratando de nomes de grandiloquência, vamos lembrar que Serginho jogou Tokarski em verdadeira saia justa, quando, em uma de suas inúmeras malsucedidas aventuras, colocou o carro na frente dos bois na tentativa de atropelar lideranças como Wasny, Agaciel, Wellington, Raimundo, Delmasso, Julio Cesar e Roosevelt.

Ouviu de volta, naquela ocasião, um retumbante ‘Não vou na p* da reunião’. Se Serginho não lembra disso, nosso leitor, de boa memória, recorda-se como se tivesse acontecido ontem.

As aventuras de Serginho provocaram danos nos corredores do Poder Legislativo – na sede e no seu apêndice que investiga contas. Gustavo, que tem porte de marquês e passa distante do austríaco-alemão, foi uma das vítimas.

– Oh! (que) gente, comentou um fã de Monteiro Lobato ao tomar conhecimento das aventuras de Serginho, o rapaz travesso do lado avesso de Pedrinho.

Epílogo: as apostas são no desmoronamento do Reino da Terracap.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente