Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Ligação com EPTG

Nova saída reduz gargalo de carro em Águas Claras

Publicado

Foto/Imagem:
Ian Ferraz/Via Agência Brasília - Foto Renato Alves

Sonhada há décadas pelos moradores, a terceira saída de Águas Claras começou a ser construída. A obra vai beneficiar 150 mil moradores e gerar 300 empregos, aliviando o trânsito na cidade e criando uma nova ligação entre a rua das Carnaúbas e a Estrada Parque Taguatinga (EPTG). A ordem de serviço para início dos trabalhos foi assinada pelo governador Ibaneis Rocha, em evento que ocorreu na própria cidade.

“Fico feliz em ver uma cidade tão nova como Águas Claras recebendo essa quantidade de obras”, declarou o governador. “Isso mostra o crescimento da cidade, das famílias. Está aí mais uma obra para colocarmos no nosso caderninho das 1.400 obras realizadas no DF. Divido essas 1.400 obras realizadas ou em andamento com a minha equipe”.

Ibaneis Rocha definiu os gestores do governo atual como um time de soluções, lembrando que a construção dessa via era um pedido antigo que não havia sido atendido por outros governos.

Serão duas faixas de rolamento em cada sentido da pista e ciclovia ao longo de 1,8 km de via, além de uma ponte de 50 m de extensão. Com execução a cargo do Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER), os trabalhos começam pela topografia, marcação, terraplenagem e a construção da ponte.

Mais qualidade
O diretor-geral do DER, Fauzi Nacfur Júnior, lembra que Águas Claras foi projetada para ter prédios e construções de um tamanho e acabou tomando uma proporção maior, o que reforça ainda mais a necessidade de uma terceira saída. “[A cidade] foi prevista para ter prédios de seis a oito andares, e temos prédios aqui de até 30 andares”, explicou. “Com essa saída, vamos aumentar em 50% a viabilidade de entrada e saída da cidade. Será um grande alívio para Águas Claras, um ‘obrão’ para uma cidade grande que merece uma obra de qualidade”.

Para o administrador de Águas Claras, André Queiroz, o início das obras em dezembro é um presente de fim de ano e para a mobilidade da cidade. “Muda praticamente tudo em questão de mobilidade”, apontou. “Uma das grandes demandas da cidade é a mobilidade urbana. É uma cidade com densidade demográfica muito grande, e, com a terceira saída, tende a ter um fluxo melhorado”.

Publicidade
Publicidade