Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Eles estão rondando

Novos asteroides testam ação da Nasa para colisões contra Terra

Publicado

Foto/Imagem:
Svetiana Ekimenko/Via Sputniknews - Foto Reprodução

A Nasa divulgou recentemente fotos de sua missão experimental de redirecionamento de asteroides duplos para colidir uma espaçonave com um asteroide. O chefe de ciências da agência saudou o esforço contínuo para ensinar os engenheiros a “desviar e defender” contra objetos potencialmente perigosos que se aproximam da Terra.

Passados alguns dias, dois observatórios no sul da Rússia descobriram um novo asteroide, denominado 2022 SE37, aproximando-se da Terra. Seu diâmetro é de meio quilômetro e gira em torno do Sol em uma órbita alongada com um período de 3,44 anos, confirmou neste domingo, 9, o Instituto Keldysh de Matemática Aplicada da Academia de Ciências da Rússia. em seu canal Telegram.

O instituto esclareceu que no futuro próximo o asteroide não representa um perigo para a Terra. A publicação também é acompanhada por imagens do asteroide, que foram tiradas por um telescópio na vila de Kochevanchik e um telescópio da Universidade Estadual de Kuban.

A descoberta do novo asteroide ocorre quando a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (Nasa) divulgou fotos de uma missão experimental para colidir sua espaçonave DART (Double Asteroid Redirection Test) com um asteroide.

As imagens, capturadas pelo Telescópio Espacial Hubble e seu sucessor, o Telescópio Espacial James Webb, mostraram a explosão após a nave colidir em alta velocidade com o asteroide Dimorphos, que orbita a rocha maior Didymos em 26 de setembro.

A missão Drt foi projetada para testar a viabilidade de desviar um grande asteroide ou cometa que estava em rota de colisão com a Terra. O experimento mais recente foi saudado pela agência espacial dos EUA por permitir que os cientistas obtenham conhecimento sobre como esses impactos cinéticos podem alterar a órbita de um asteroide.

Enquanto a maioria dos objetos próximos da Terra têm órbitas que não os aproximam muito da Terra, um pequeno número deles – maiores que 140 m de tamanho e com órbitas que os aproximam de 7,5 milhões de km órbita da Terra ao redor do Sol – são considerados potencialmente perigosos.

Asteroides e cometas com órbitas que os levam a 30 milhões de milhas (48,3 milhões de quilômetros) da Terra são chamados de objetos próximos da Terra (NEOs). Assim, a Nasa e outras organizações espaciais em todo o mundo mantêm a missão de identificar ameaças de NEOs que possam causar danos significativos.

Publicidade
Publicidade