Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Casa e Decoração

Novos hábitos e costumes na selva de pedras

Carolina Paiva, Edição

Já imaginou o que é trocar um paraíso à beira-mar por uma selva de pedras, do tipo, por exemplo, sair de Santos para morar em São Paulo, capital? Pois é. Recém-formada em engenharia, uma jovem fez isso por causa de uma oportunidade de trabalho, daquelas imperdíveis. Para viver a nova fase, ela escolheu este apartamento de 55 m² no Itaim Bibi, que antes de se tornar seu novo lar passou por uma boa repaginada.

Mal acostumada, a jovem que até então vivia com os pais, precisava de um espaço pratico para não perder muito tempo organizando a casa e, assim, ter mais tempo para se dedicar à sua nova rotina. Apaixonada por moda, ela também não abria mão de um closet com direito a bancada de maquiagem.

Em síntese, foram esses os pilares que definiram o projeto assinado pelos arquitetos Renato Andrade e Erika Mello, do escritório Andrade & Mello Arquitetura, que teve como ponto de partida a redefinição dos ambientes. “Demolimos as divisões entre quarto e sala, retiramos as portas da varanda e nivelamos o piso”, explica Erika. “Assim, ficamos livres para criar.”

Ainda que a configuração geral do apartamento tenha ficado muito mais aberta, os arquitetos optaram por manter, ao menos visualmente, algumas divisões. “Mesmo que elas tenham desaparecido, foi necessário deixar claro onde fica cada canto da casa, até para ajudar na organização da moradora”, pontua Andrea. “Um espaço único, totalmente indiferenciado, funciona bem para quem é organizado, o que não era o caso da nossa cliente”, brinca Erika.

Versatilidade, por sua vez, foi a senha da dupla de arquitetos na definição do mobiliário. Ao entrar no apartamento, por exemplo, há um pequeno hall com aparador, que pode se transformar em área de trabalho. No estar, a marcenaria faz as vezes de parede, com nichos para organizar e decorar. Do lado do quarto, esses nichos fazem papel de armário. Ainda assim, a marcenaria é vazada o suficiente para transmitir a ideia de integração.

Logo à frente, um grande espelho amplia a sensação de espaço, ao mesmo tempo em que acomoda a televisão e o equipamento  de limpeza, com vassouras, esfregão e uma pequena máquina de lavar e secar. Caso a jovem receba visitas, como os pais, que volta e meia vêm a São Paulo, o estar se transforma em quarto.

Segundo os arquitetos, um dos pontos altos do projeto foi a integração da área de serviço e da varanda, que agora acomoda uma pequena, porém completa, cozinha. Lá, a mesa-balcão é acompanhada por um cantinho de descompressão, com plantas e pufes. “É o lugar para um bate-papo, tomando um vinho”, conta Erika.

Esse cantinho, por sua vez,  se une com o espaço destinado ao quarto. “O armário do closet é também a cabeceira da cama. Já o banheiro recebeu uma porta dupla que, quando aberta, se integra ao closet”, diz Andrade. “Com esses pequenos deslocamentos criamos um apartamento que captura totalmente o estilo da nossa cliente”, avalia Erika.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente