Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Casa e Decoração

O apê é alugado. E daí? Vale mexer e melhorar

Foto/Divulgação
Anelisa Lopes

Muitas vezes, escuto de amigos que moram em residência alugada que não vale a pena “mexer”, pois o imóvel não é próprio e, portanto, o investimento não vale a pena. E, em muitas situações, acabam vivendo em um ambiente pouco acolhedor e sem nenhuma identidade.

É possível, no entanto, morar bem no apê alugado sem quebrar a cabeça e o bolso. Para isso, em primeiro lugar, estreite as relações com o dono do imóvel. Se ele for favorável a mudanças – afinal, não deixa de ser uma forma de manutenção e valorização do local -, você pode propor abatimento no aluguel proporcional às melhorias. Em seguida, estude cada centímetro do local e abuse da criatividade.

Pintura é o ponto inicial, já que, na maior parte das vezes, é preciso devolver o imóvel com nova mão de tinta. Caso seja possível, remova papel de parede e demarque os ambientes com cor ou textura. Se não for viável modificar os pontos de iluminação, capriche em abajures ou luminárias de chão.

Mobiliário não precisa ser feito sobre medida, uma vez que permanecerá no lugar, mas o ideal é que ele seja compatível com o espaço. De nada adianta um sofá enorme retrátil para uma sala minúscula ou uma mesinha para o jantar integrado à varanda. Se o proprietário deixou alguma coisa que não tem nada a ver com você no ambiente, proponha a ele uma restauração ou venda.

Revestimento do sofá e das poltronas, tapetes, cortinas e ao menos dois jogos de enxoval de qualidade sem estampas ou cores marcantes podem ser incrementados com almofadas ou mantas coloridas. Não se esqueça dos quadros, espelhos e plantas, que dão um toque especial ao local.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente