Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Chapa da Thaís Riedel

OAB julga os ‘branquinhos’ que se dizem pretos

Publicado

Foto/Imagem:
Pontes de Miranda Neto II - Foto Reprodução das Redes Sociais

A Comissão Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB/DF) irá julgar, no início da noite da próxima segunda-feira (8), o pedido de impugnação do registro dos candidatos da chapa “Você na Ordem” acusados de fraudarem as cotas raciais para as eleições de novembro. A atitude do grupo, que é encabeçado pela advogada Thaís Riedel, foi questionada após um movimento nacional de direitos raciais ter acesso às fotos dos integrantes que se autodeclaram negros.

O caso repercutiu na última semana quando a Associação Nacional da Advocacia Negra (Anane) fez um pedido de impugnação do registro ao questionar a legitimidade do uso das cotas raciais por pelo menos 15 nomes da chapa. Para a Anane, trata-se de uma clara tentativa de burlar as regras atuais, baseadas na ação afirmativa instituída pelo Conselho Federal da OAB, que fixou cotas de representatividade dos negros nos quadros de comando do órgão em que cada grupo concorrente precisa preencher o número mínimo de 30% de profissionais que se apresentam como pretos ou pardos.

A associação pontuou no documento protocolado que a população afrodescendente é a maior do país (56%) e que “não é crível que uma chapa que se proponha a liderar uma das instituições mais importantes do Brasil tente de algum modo inviabilizar ou menosprezar uma discussão tão cara ao povo brasileiro – racismo e escravidão”. A chapa “Avança + OAB”, liderada pelo presidente licenciado da OAB/DF e candidato à reeleição, Délio Lins e Silva Júnior, também apresentou uma petição semelhante.

Injúria racial
Menos de uma semana antes de o grupo ter sido acusado de fraudar preenchimento de vagas, a chapa “Você na Ordem” afastou uma candidata que responde por injúria racial por usar bananas para responder uma colega negra em grupo de WhatsApp. A advogada Isabela Bueno de Sousa era candidata a suplente de tesoureira da Caixa de Assistência dos Advogados, que nada mais é do que o braço da OAB-DF cuja finalidade é a de assistir, de diversas formas, os advogados brasiliense.

Publicidade
Publicidade