Curta nossa página


Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Brasília

Odebrecht bancou votos no DF na eleição de 2018

Ciro Nogueira (na foto com a brasiliense Celina Leão, também do PP) é acusado de corrupção. Foto/Arquivo Notibras
Antônio Albuquerque e José Seabra

O senador piauiense Ciro Nogueira, que tem fortes ligações com a deputada brasiliense Celina Leão, ambos do PP, e com o governador Ibaneis Rocha (MDB), é alvo de novo cerco da Polícia Federal.

Uma parte de um dos inquéritos sobre uso de caixa dois nas eleições do ano passado aponta 6 milhões de reais da Odebrecht para ‘Piqui’ e ‘Aquário’, dois codinomes ligados ao senador.

O inquérito corre em segredo de justiça no Supremo Tribunal Federal, mas as planilhas vazaram por meios anônimos. O repasse teria sido feito a Lourival Ferreira Nery Júnior, assessor de Ciro. São 11 citações em apenas uma das muitas planilhas.

O dinheiro foi entregue por uma empresa de transporte de valores em um apartamento de Perdizes, na capital paulista. Parte da grana chegou a Brasília jogada no porta-malas de um insuspeito veículo, que depois, descobriu-se, tinha placa clonada.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright ® 1999-2019 Notibras. Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores independentes.

Segue a gente