Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Países no vermelho

OMS alerta para iminente risco de recessão global

Publicado

Foto/Imagem:
Sergey Lebedev/Cia Sputniknews - Foto Reprodução

As principais economias do mundo correm o risco de entrar em recessão , disse o diretor-geral da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala, na reunião dos líderes do G20 em Bali. Ele acrescentou que os mercados emergentes e os países pobres também estão em risco, pois precisam de demanda externa por seus produtos dos países desenvolvidos.

A Organização Mundial do Comércio prevê que, em 2023, o comércio global aumentará apenas 1%. Para efeito de comparação, o crescimento do comércio neste ano deve ser de 3,5%. No entanto, o chefe da OMC mencionou as negociações entre o líder chinês Xi Jinping e o presidente dos EUA, Joe Biden, como um desenvolvimento positivo.

“É sempre bom quando as duas maiores economias do mundo conversam”, disse Ngozi Okonjo-Iweala.

A iminência da recessão temida pelas grandes economias tem diferentes sinais de alerta que variam de país para país. Por exemplo, a Europa sofre com os altos preços da energia resultantes das sanções anti-russas. Os preços altos provavelmente reduzirão os gastos das famílias e aumentarão os custos de fabricação.

Uma política monetária mais restritiva dos EUA terá um impacto sobre os gastos em áreas onde as taxas de juros são importantes – como habitação, veículos motorizados e investimentos fixos.

Ngozi Okonjo-Iweala enfatizou que a principal estratégia para superar a recessão global é o livre comércio, apesar do fato de que a turbulência econômica é frequentemente considerada um bom momento para medidas protecionistas.

“Embora as restrições comerciais possam ser uma resposta tentadora às vulnerabilidades de oferta que foram expostas pelos choques dos últimos dois anos, uma redução das cadeias de suprimentos globais apenas aprofundaria as pressões inflacionárias, levando a um crescimento econômico mais lento e padrões de vida reduzidos ao longo do tempo”. disse.

Segundo ele a economia mundial precisa de “uma base mais profunda, diversificada e menos concentrada para a produção de bens e serviços”. Os comentários de Ngozi Okonjo-Iweala sobre a economia mundial foram feitos à margem da reunião dos líderes do G20, fórum intergovernamental composto por 19 países e a União Europeia. Este ano, a cúpula aconteceu em Bali e contou com a presença de líderes políticos e empresariais mundiais.

Publicidade
Publicidade