Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Unidade de Bonsucesso

Paciente em cárcere é transferida para hospital federal

Publicado

Foto/Imagem:
Cristina Indio do Brasil/Via ABr - Foto Tânia Rêgo

A paciente Daiana Chaves Cavalcanti, de 35 anos, que foi submetida a cirurgias e estava internada no Hospital Santa Branca, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi transferida para o Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), na zona norte do Rio.

Daiana se internou, no início de junho, para fazer procedimentos estéticos no abdômen e nas mamas com o cirurgião plástico Bolívar Guerrero Silva, mas depois da cirurgia começou a apresentar sequelas no abdômen. Ela vinha pedindo a transferência da unidade particular por entender que corria risco de morte, com feridas abertas.

Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, o Hospital de Bonsucesso tem condições de atender Daiana. “O quadro da paciente é compatível com a capacidade assistencial da unidade. De acordo com o protocolo do HFB, ela será acompanhada por uma equipe multidisciplinar formada por profissionais dos serviços de cirurgia plástica reparadora, cirurgia geral, CTI, psicologia e serviço social”, informou.

Nesta quinta-feira, Daiana comemorou a saída do Hospital Santa Branca. “Já estou indo, gente. Estou sendo transferida agora, nesse exato momento”, relatou em vídeo a que a Agência Brasil teve acesso, enquanto estava sendo levada de maca para a ambulância.

O advogado Ornélio Mota, que defende a paciente, disse que, embora tivesse pedido na justiça a transferência da cliente para um hospital particular da Rede D’Or, por entender que teria capacidade de atender a complexidade médica do caso, a ida de Daiana para a unidade federal atende a expectativa de deixar o Hospital Santa Branca.

“A gente queria que ela saísse de lá. Lá não tem estrutura, e o hospital de Bonsucesso, a gente entende que tem referências e especialistas na área. Até que se prove o contrário, a gente entende que sim. A gente precisava tirar de lá, não somente pelo que a gente presenciou, mas porque tinha laudo médico de um profissional dizendo que lá não tinha estrutura”, contou em entrevista à Agência Brasil.

De acordo com o advogado, esse laudo médico foi incluído na petição que a defesa fez na semana passada à Justiça para conseguir autorização e transferir Daiana para outra unidade hospitalar. Ela chegou a afirmar que estava passando por cárcere privado.

Bloqueio de recursos
Na terça (20) a juíza Elizabeth Maria Saad, da 5ª Vara Cível de Duque de Caxias, acatou o pedido da defesa de Daiana de bloquear recursos do Hospital Santa Branca. Na decisão, a magistrada determinou o bloqueio de R$ 198 mil para custear a transferência e o tratamento da paciente.

O médico Bolívar Guerrero Silva, que é equatoriano, foi preso na segunda-feira (18), por policiais da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Duque de Caxias, sob acusação de manter a paciente em cárcere privado.

Publicidade
Publicidade